Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

EUA querem 'punir' Turquia, diz especialista sobre situação dos F-35

O Senado dos EUA aprovou a versão do projeto de orçamento de defesa que prevê a suspensão da participação da Turquia do programa de produção do caça F-35. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um especialista em ciências políticas comentou a situação.


Sputnik

De acordo com a versão do projeto de orçamento de defesa norte-americano para 2019, a Turquia é suspensa da participação do programa de produção do caça de quinta geração F-35.

Caça norte-americano F-35 Lightning II
F-35 Lightining II | CC0

Além disso, o texto do projeto contém uma proibição de transferência do direito da Turquia aos caças F-35.

A razão para isso, entre outras coisas, é a intenção de Ancara de adquirir sistemas de mísseis antiaéreos russos S-400, bem como as tentativas de alargar as relações com a Rússia que, segundo os legisladores dos EUA, prejudicam a segurança da OTAN.

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista em ciências políticas Andrei Koshkin comentou as ações de Washington.

"Os EUA estão prontos para perderem milhões de dólares só para punir os Estados que não obedecem às suas ordens. Hoje em dia estamos assistindo uma certa guerra na área da indústria militar. E isso é apenas o início. Deste modo, os EUA querem punir a Turquia e demonstrar a todos os outros países que em casos similares eles vão agir ainda com mais firmeza", assinalou Koshkin.

Em dezembro de 2017, os representantes russos e turcos assinaram um contrato para o fornecimento de sistemas S-400. Ancara comprará duas baterias destes sistemas, que serão operados pelas tropas do país. As partes também pretendem estabelecer uma cooperação técnica e efetuar transferência de tecnologia durante o processo para desenvolver a produção desses armamentos na Turquia.

Os EUA e representantes da OTAN criticaram repetidamente Ancara por sua decisão. A Turquia, por sua vez, respondeu que tomará medidas de resposta contra Washington caso o fornecimento dos caças seja bloqueado, apontando as aeronaves russas como provável alternativa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas