Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Falha perigosa provoca revisão maciça de rifles recém-modernizados nos EUA

O Exército e o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA estiveram investigando seus fuzis M-4 e M-16 após um disparo involuntário. O assunto complica-se devido ao fato que o rifle em questão acaba de ser modernizado.


Sputnik

A falha aconteceu no fim de março, mas foi tornada pública somente em junho, informa a mídia Task&Purpose.

Fuzis norte-americanos M-16 (foto de arquivo)
Fuzis M-16 norte-americanos © AP Photo / Sakchai Lalit

Um rifle M4A1 falhou ao disparar, e quando revisaram a arma, revelou-se que o seletor entre os modos automático e semiautomático estava travado. No momento de forçar o seletor manualmente produziu-se um disparo involuntário.

O incidente não deixou feridos, mas dado que a arma fazia parte de um programa de modernização recente, o Pentágono ordenou a investigação da falha e a revisão de outros rifles modernizados, escreve o comunicado.

O estudo de aproximadamente 52 mil rifles revelou que 6% das armas possuíam a mesma falha, e agora os militares norte-americanos têm que revisar mais de 900 mil fuzis automáticos em serviço.

A reparação poderia demorar até um ano e meio, segundo o Exército. Entretanto, foi divulgado um comunicado de segurança para conscientizar os militares sobre o problema encontrado.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas