Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Iemenitas destroem centenas de veículos da coalizão saudita em 3 semanas

Forças iemenitas destroem 332 equipamentos militares e engajam milicianos apoiados pela Arábia Saudita nas últimas três semanas na costa oeste


Forças Terrestres

Forças do Exército e grupos iemenitas destruíram um navio de guerra e 331 veículos blindados, assim como mataram e feriram mais de 1.300 mercenários liderados pela Arábia Saudita durante as três semanas da escalada da coalizão na costa oeste, de acordo com estatísticas publicadas no domingo pelo canal de televisão local Al Masirah.

M-113 destruído no Iêmen
M-113 destruído no Iêmen

A fonte observou que esta estatística foi registrada ao longo dos 23 dias a partir do discurso feito em 27 de maio pelo líder do movimento popular iemenita Ansarolá, Abdulmalik al-Houthi – em que pediu uma guerra de atrito contra o inimigo na costa oeste – até 20 de junho.

De acordo com o relatório, as forças do Exército e os comitês populares durante estes 23 dias destruíram 296 veículos de transporte de diferentes tipos e capturaram 25 veículos.

Ele também explicou que um grande número de equipamentos destruídos pela Força Aérea e mísseis balísticos não foram incluídos nas estatísticas.

De acordo com o Al Masirah, 1.323 homens armados foram mortos ou feridos durante o mesmo período, embora não tenham sido incluídos nas estatísticas de um grande número de vítimas e feridos deixados pelos ataques aéreos e de mísseis balísticos lançados por Ansarolá contra invasores.

A Arábia Saudita e seus aliados regionais começaram em 13 de junho, uma ofensiva em grande escala para assumir o controle da cidade portuária de Al-Hudaydah (Hodeida) no Iêmen Ocidental, causando a ira e condenação de muitos países e organizações de direitos humanos que avisam do risco que esta operação para a vida de milhões de iemenitas.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a ofensiva pode matar até 250 mil iemenitas e arriscar a vida de 11 milhões de crianças.

Com esta ofensiva, Riyadh, juntamente com vários outros países árabes, de fato intensificou sua campanha militar contra o Iêmen lançada em março de 2015, com o objetivo de restaurar ao poder o ex-presidente iemenita fugitivo, Abdu Rabu Mansur Hadi.

FONTE: HispanTV

Postar um comentário

Postagens mais visitadas