Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Israel mata 4 palestinos em nova ação na fronteira com Gaza

Pelo menos quatro pessoas foram mortas e 620 feridas nesta sexta-feira (8) na ação das forças de Israel contra um novo protesto na fronteira do país com a faixa de Gaza, que desde março tem recebido manifestações de palestinos contra o Estado judaico.


Pars Today

Segundo as autoridades de Gaza, 120 vítimas foram atingidas por munição letal disparada pelos israelenses, incluindo um adolescente de 15 anos que morreu e um fotógrafo da AFP que, diz a agência de notícias, usava colete e capacete identificando-o como membro da imprensa.

Israel mata 4 palestinos em nova ação na fronteira com Gaza

A manifestação desta sexta coincidiu com o Dia de Jerusalém, data criada pelo Irã depois da Revolução Islâmica para lembrar a reivindicação histórica dos palestinos para ter a cidade como sua capital.

O protesto começou após a oração do meio-dia de sexta-feira, dia sagrado para os muçulmanos, como habitualmente ocorre nos últimos três meses. Cerca de 10 mil pessoas se dirigiram à fronteira, onde grupos atearam fogo em pneus, atiraram pedras e voaram pipas incendiárias contra as forças israelenses.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas