Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Israel participará pela 1ª vez em manobras da OTAN perto da Rússia

Israel, que não pertence à OTAN, fará parte pela primeira vez dos exercícios militares anuais da Aliança conhecidos como Saber Strike, destinados a dissuadir a suposta ameaça russa, informa Haaretz.


Sputnik

As manobras, desenvolvidas nos países bálticos (Lituânia, Letônia e Estônia) e na Polônia, são lideradas pelos EUA e conta com a participação de 18 mil soldados de 19 países da OTAN. Os exercícios serão realizados de 13 a 15 de junho.

Exercícios militares da OTAN Saber Strike 2016, na Estônia
Militares em exercício da OTAN na Estônia © Sputnik / Sergei Stepanov

Israel está enviando algumas dezenas de soldados, que participarão da segunda fase das manobras, uma etapa menos extensa dos exercícios.

No domingo (3), o exército norte-americano na Europa declarou que as manobras são "uma demonstração de compromisso e solidariedade da Aliança", ressaltando que o Saber Strike "não é uma provocação à Rússia".

Previamente, o jornal Die Welt relatou, citando fontes diplomáticas de Bruxelas, que a Aliança estaria planejando enviar mais de 30 mil reservistas para a Europa, assim como centenas de aviões de combate e navios prontos para implantação rápida em caso de um ataque hipotético da Rússia.

Moscou negou planos de atacar qualquer membro da OTAN, ressaltando que a "ameaça russa" não passa de desculpa para militarizar ainda mais os arredores russos, estimulando, assim, conflitos.

A OTAN tem impulsionado presença militar nos países do Leste Europeu, desde o início da crise ucraniana, citando suposta interferência da Rússia nesse conflito como justificativa para a mudança.

A Rússia rejeitou repetidas vezes essas alegações, enfatizando que são as ações da OTAN na fronteira russa que estão desestabilizando a situação.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas