Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Japão compra sistema americano de defesa antimíssil mais avançado por bilhões de dólares

Em breve o Japão receberá um dos sistemas de defesa antimíssil mais avançados do mundo, com capacidade de neutralizar potenciais ameaças da China e da Coreia do Norte.


Sputnik

Segundo informam fontes do governo japonês, citadas pela Reuters, nos próximos dias, o Japão concretizará a aquisição dos sistemas de defesa antimíssil Aegis Ashore norte-americanos.

Sistema de defesa antimíssil estadunidense Aegis Ashore
Sistemas de defesa antimíssil Aegis Ashore | CC BY 2.0 / Agência de Defesa Antimíssil dos EUA / FTO-02-E1a-002

O acordo — que foi assinado ainda em 2017 — estipula a compra de duas unidades desse sistema, que devem entrar em serviço no exército japonês em 2023.

Portanto, até segunda-feira (2), Tóquio deve decidir que tipo de radar será instalado nos sistemas. O país deve escolher entre o SPY 6 — modelo fabricado pela empresa Raytheon e o Long Range Discrimination Radar (LRDR), desenvolvido pela empresa Lockheed Martin.

As autoridades militares japonesas estimam o custo da operação aproximadamente em US$ 2 bilhões (R$ 7,7 bilhões), mas o preço final pode dobrar se forem incluídos os radares de tecnologia avançada. Vale destacar que essa compra também poderia aliviar as tensões nas relações comerciais bilaterais, que aumentaram depois de Washington ter ameaçado introduzir tarifas contra o aço e os carros importados do Japão, destacaram as fontes japonesas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas