Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Chefe da ONU diz que é essencial evitar escalada de tensões no Irã

O chefe da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, alertou neste domingo que é essencial evitar “qualquer forma de escalada” das tensões no Golfo, em meio a temores de um conflito após a derrubada de um drone norte-americano pelo Irã na semana passada.
Por Catarina Demony | Reuters

LISBOA (Reuters) - “O mundo não pode permitir um grande confronto no Golfo”, disse Guterres, nos bastidores da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, em Lisboa . “Todos devem manter nervos de aço.”

Na quinta-feira, um míssil iraniano destruiu um drone de vigilância dos EUA, em um incidente que o governo norte-americano disse que aconteceu no espaço aéreo internacional.

Trump disse mais tarde que ordenou o cancelamento de um ataque militar em retaliação pela ação que poderia ter resultado em 150 mortes.

Teerã repetiu no sábado que o drone foi abatido sobre seu território e disse que responderia com firmeza a qualquer ameaça dos EUA.

Os comentários de Guterres vêm um dia depois…

Kiev relata morte de 3 militares na zona de conflito em Donbass

O centro de imprensa da Operação de Forças Conjuntas da Ucrânia informou que 3 soldados ucranianos foram mortos e outros 3 ficaram feridos em 27 de junho por conta das violações do cessar-fogo em Donbass.


Sputnik

De acordo com o relatório, durante a quarta-feira (27), as forças de Donetsk e Lugansk lançaram 32 ataques contra as posições do exército ucraniano, usando quatro vezes armas pesadas, proibidas pelos acordos de Minsk.

Combatentes da autoproclamada República Popular de Donetsk
Combatentes da República Popular de Donetsk © Sputnik / Dan Levy

Desde abril de 2014, a Ucrânia realizou uma operação contra o leste de seu território, onde as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk foram proclamadas em resposta à violenta mudança de governo que ocorreu em Kiev em fevereiro do mesmo ano.

Os acordos de Minsk, assinados em setembro de 2014 e fevereiro de 2015, lançaram as bases para uma solução política para o conflito, mas ainda não levaram ao da violência.

De acordo com os dados da ONU, o conflito no leste ucraniano já causou mais 10.300 mortos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas