Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Mais um ataque da coalizão internacional mata 8 civis na Síria, relata mídia

A coalizão internacional encabeçada pelos EUA efetuou um novo ataque aéreo contra civis no território sírio, comunicou uma agência de notícias do país, citando uma fonte local.


Sputnik

A "coalizão internacional' realizou mais uma carnificina, na sequência da qual morreram oito membros da mesma família na povoação de Dib-Haddadj, no sudeste da província de Al-Hasakah", diz o comunicado publicado pela SANA.

Ataque aéreo da coalizão internacional na Síria (foto de arquivo)
Ataque da coalizão liderada pelos EUA à Síria © AP Photo / Bram Janssen

As respectivas forças efetuam regularmente ataques aéreos que resultam na morte de civis sírios. Assim, em 2 de maio as mídias sírias comunicaram sobre a morte de 25 pessoas em resultado de um ataque aéreo contra o povoado de Al-Fadil.

Dez dias depois, foi revelado que a coalizão tinha bombardeado duas povoações na província de Al-Hasakah matando 17 pessoas, inclusive mulheres e crianças.

Os representantes do próprio agrupamento militar reconhecem que desde agosto de 2014, ou seja, desde o começo da operação Resolução Inerente, quase 900 civis morreram na sequência de seus bombardeios na Síria e no Iraque.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas