Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Major-general sírio: EUA estariam preparando conquista de Palmira

O major-general e especialista militar sírio Muhammed Abbas falou em entrevista à Sputnik sobre os possíveis planos dos EUA quanto à Síria.


Sputnik

"Os EUA estão tentando tomar o controle da fronteira entre a Síria e o Iraque para romper a ligação entre os dois Estados. Para alcançar este objetivo, são provocados confrontos no território de Al-Tanf até à parte meridional de al-Suwayda e Palmira", explicou o militar à Sputnik Árabe.

Soldados sírios em Palmira (foto de arquivo)
Militares sírios em Palmira © AFP 2018 / VASILY MAXIMOV

"Os EUA buscam prolongar a guerra na Síria. Admito que Palmira possa voltar novamente a ser alvo de seus ataques. É que a conquista de Palmira pode abalar a estabilidade e a segurança da área, estabilidade que o governo sírio tem assegurado nos últimos dois anos", acrescentou.

Muhammed Abbas explicou quais seriam as consequências de uma possível conquista da cidade síria.

"Palmira é um ponto-chave e, caso seja conquistada, o impacto será grande. Agora existem possibilidades de realizar tal operação, já que os norte-americanos concentraram forças na [base] de Al-Tanf e em Rukban [campo de refugiados], na margem ocidental do rio Eufrates, controlada pelas Forças Democráticas da Síria", advertiu.

Segundo o major-general, os EUA poderiam empreender um deslocamento de suas forças para Palmira, utilizando vários métodos para disfarçar esse reposicionamento, por exemplo, por meio de interferências eletromagnéticas.

De acordo com o general, os norte-americanos continuam prestando apoio a várias unidades de combatentes, destinadas a realizar os planos de Washington na região.

Além disso, Muhammed Abbas indicou que os recentes ataques no sudeste de Deir ez-Zor e nas proximidades da base aérea de Hmeymim provam que as forças norte-americanas estão prontas para abrir uma nova frente no sul e no norte da Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas