Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Mídia revela calcanhar de Aquiles norte-americano

Os EUA são vulneráveis perante ameaças externas por parte da Rússia, China e Coreia do Norte como nunca antes, escreve a revista The National Interest.


Sputnik

A edição cita um especialista norte-americano, de acordo com o qual os EUA não poderão responder a uma potencial agressão por parte destes países no caso de um conflito militar.

Exército dos EUA nos veículos blindados
Tropa dos EUA © AFP 2018 / ROMEO GACAD

Refira-se que a Coreia do Norte possui dezenas de ogivas nucleares. Durante o último ano o país também avançou na elaboração de tecnologias de instalação destas ogivas em vários tipos de mísseis balísticos intercontinentais.

De acordo com o especialista, Washington também não está protegido contra uma potencial ameaça proveniente de Moscou. Na sua avaliação, o arsenal nuclear russo supera significativamente o estadunidense. Na publicação se assinala que a Rússia planejou construir cidades e centros de comando subterrâneos no caso de um conflito nuclear. A partir destas instalações, as autoridades políticas e militares do país poderiam travar e, talvez, ganhar uma guerra contra os Estados Unidos.

O autor do artigo supõe que a Rússia pode ser capaz de derrubar a maioria das ogivas lançadas pelos EUA.

Além do mais, os EUA são vulneráveis perante a China. Nos túneis subterrâneos chineses podem ser posicionados centenas de mísseis balísticos móveis equipados com ogivas nucleares. E o seu número, conforme o autor, é maior do que norte-americano.

Para concluir, o autor ressalta que Washington nunca antes foi tão vulnerável perante ameaças externas. Na sua opinião, as autoridades norte-americanas têm que acelerar os ritmos de aumento do potencial nuclear do país e abandonar o START III (Tratado de Redução de Armas Estratégicas).

Comentários

Postagens mais visitadas