Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

'Navio espião' russo no Canal da Mancha provoca alvoroço na Marinha britânica (VIDEO)

A passagem do navio russo de pesquisa oceanográfica Yantar pelo Canal da Mancha provocou uma forte reação da Marinha Real Britânica.


Sputnik

O Reino Unido enviou o destróier HMS Diamond e o helicóptero Wildcat para acompanhar a passagem do que foi rotulado como um "navio espião da Marinha russa" através do canal, segundo o comunicado divulgado em 1º de junho.


O Reino Unido enviou o destróier HMS Diamond e um helicóptero Wildcat para acompanhar a passagem do navio de pesquisa oceanográfica russo Yantar pelo Canal da Mancha | Royal Navy

A Marinha britânica afirmou que o navio russo "se aproximou da área de interesses do Reino Unido", sem mencionar qualquer atividade suspeita por parte da embarcação, e que seu destróier "continuará monitorando os movimentos e atividades do navio à medida que ele se move em direção ao norte".

A mídia britânica não demorou a ecoar, qualificando a embarcação russa como "navio espião".

No entanto, o Yantar é na verdade um navio de pesquisa oceanográfica que, embora pertença à Frota do Norte da Rússia, foi projetado para realizar investigações em águas profundas.

Segundo detalhou o comandante da Frota do Norte, almirante Nikolai Evmenov, ao longo de 11 meses, a embarcação estava levando a cabo investigações em diferentes partes dos oceanos, incluindo o Atlântico Sul, onde participou da busca do submarino argentino ARA San Juan.

De acordo com o oficial, a tripulação do navio, que já tinha efetuado um grande volume de trabalho no que se refere à exploração geológica e geofísica dos oceanos, realizou um estudo do fundo do mar daquela zona.

A passagem de navios militares russos pelo Canal da Mancha atrai sempre a atenção das autoridades britânicas. Em janeiro, Londres enviou a sua fragata HMS Westminster para escoltar quatro navios de guerra russos que passaram pela área, o que constituiu apenas um incidente de entre muitos outros do mesmo tipo.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas