Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: Rússia e Turquia decidirão que grupos deixarão zona de Idlib

Rússia e Turquia irão determinar em conjunto quais grupos radicais deverão deixar o território da zona desmilitarizada de Idlib, na Síria, segundo afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, neste domingo.
Sputnik

"Durante negociações sobre Idlib em Sochi, nós decidimos estabelecer uma zona desmilitarizada entre os territórios controlados pela oposição e pelo regime. A oposição permanecerá nos territórios que ela ocupa. Vamos garantir que os grupos radicais, designados em conjunto com a Rússia, não operem na região", disse Erdogan em artigo publicado pelo jornal russo Kommersant

Ainda de acordo com o líder turco, Washington segue atrapalhando o equilíbrio na região com seu apoio às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) e ao Partido da União Democrática (PYD) na Síria, considerados adversários de Ancara.

"Infelizmente, vemos que o apoio extraordinário que tem sido prestado recentemente, especialmente pelos Estados Unidos, às forças do YPG e do PYD, continua. Tais …

Netanyahu: Irã quer arsenal nuclear para destruir Israel

O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, comentou a recente declaração de Teerã sobre o início do enriquecimento de urânio aumentado.


Sputnik

"Dois dias atrás, o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, disse que pretende destruir Israel. Ontem ele explicou como quer fazer isso – com enriquecimento de urânio ilimitado para criar um arsenal de bombas nucleares", afirmou o primeiro-ministro de Israel.

Resultado de imagem para Benjamin Netanyahu
Benjamin Netanyahu | Reprodução

Netanyahu também frisou que Israel não está surpreendido com os planos do Irã de reforçar suas capacidades de enriquecimento, prometendo que vai impedir que o país persa obtenha armas nucleares.

"Não estamos surpreendidos. Não permitiremos que o Irã obtenha armas nucleares", reforçou.

Segundo o diário Haaretz, o Irã disse à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que vai aumentar as capacidades do enriquecimento de urânio no âmbito dos limites estabelecidos pelo acordo de 2015.

Mais cedo hoje (5), o chefe da energia atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, especificou que Teerã desenvolveu uma infraestrutura para produzir eletricidade na usina de Natanz, adicionando que o país notificou a ONU que iria instalar centrifugas lá para enriquecer urânio.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, prometeu em 4 de junho que o país vai manter o seu programa nuclear apesar da retirada dos EUA do acordo. O Irã disse que tem a opção de reiniciar o enriquecimento à escala industrial, agora que os EUA deixaram de ser parte do Plano de Ação Conjunto Global (JPCOA na sigla em inglês).

Postar um comentário

Postagens mais visitadas