Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: Rússia e Turquia decidirão que grupos deixarão zona de Idlib

Rússia e Turquia irão determinar em conjunto quais grupos radicais deverão deixar o território da zona desmilitarizada de Idlib, na Síria, segundo afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, neste domingo.
Sputnik

"Durante negociações sobre Idlib em Sochi, nós decidimos estabelecer uma zona desmilitarizada entre os territórios controlados pela oposição e pelo regime. A oposição permanecerá nos territórios que ela ocupa. Vamos garantir que os grupos radicais, designados em conjunto com a Rússia, não operem na região", disse Erdogan em artigo publicado pelo jornal russo Kommersant

Ainda de acordo com o líder turco, Washington segue atrapalhando o equilíbrio na região com seu apoio às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) e ao Partido da União Democrática (PYD) na Síria, considerados adversários de Ancara.

"Infelizmente, vemos que o apoio extraordinário que tem sido prestado recentemente, especialmente pelos Estados Unidos, às forças do YPG e do PYD, continua. Tais …

OTAN nunca 'dará as costas' ao diálogo com a Rússia, afirma Mattis

A OTAN nunca cortará as comunicações com a Rússia, apesar da suposta intromissão de Moscou nas eleições americanas e europeias, afirmou James Mattis, secretário de Defesa dos EUA, a repórteres a caminho da Bélgica.


Sputnik

"A OTAN nunca vai desligar o diálogo com a Rússia", disse Mattis nesta quarta-feira. "A OTAN nunca dará as costas para tentar melhorar as relações com a Rússia".

Chefe do Pentágono, James Mattis
James Mattis © AP Photo / Jacquelyn Martin

A perspectiva de melhorar as relações entre a Rússia e a OTAN é dificultada pela suposta interferência do Kremlin nas eleições dos EUA e na Europa e "mudar as fronteiras da Europa através da força das armas", declarou Mattis.

Mattis acrescentou que a Rússia, da perspectiva da OTAN, tem mais em comum com a aliança em termos de futuro. No entanto, tem sido extremamente difícil encontrar uma causa comum com a Rússia, disse Mattis.

Os ministros da Defesa da OTAN vão se reunir na quinta e na sexta-feira para se preparar para a cúpula de julho, que tem como foco a aprovação de uma nova estrutura de comando, que poderá aumentar o número de funcionários em 1.200.

No início do dia, a embaixadora dos EUA na OTAN Kay Bailey Hutchison disse que os ministros da Defesa da aliança se concentrarão em aprovar uma nova estrutura de comando simplificada para uma resposta mais rápida e o envio de forças para áreas de crise na aliança de 29 países.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas