Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

OTAN prepara unidade de 30 mil soldados para retaliar alegada 'invasão russa'

A Aliança Atlântica pretende aumentar a sua prontidão de combate no caso de um possível "ataque russo", comunicou neste sábado (2), a edição Die Welt, citando funcionários de alto escalão da organização.


Sputnik

Segundo a edição, a OTAN quer criar uma unidade operacional, composta por 30 mil militares dos países da aliança. Prevê-se que a unidade tenha em seu dispor várias centenas de caças e navios.

Forças Armadas da Alemanha
Militares alemães © AFP 2018 / John MacDougall

A unidade de reserva será integrada à Força de Reação Rápida da Aliança Atlântica (Response Force), que no momento contabiliza aproximadamente 20 mil militares. O prazo exigido para pô-la em estado de prontidão de combate é de 30 dias.

A Alemanha é considerada o país-chave da nova unidade, contudo, o diplomata entrevistado pela edição precisou que a iniciativa da criação da unidade pertenceu a Washington.

"Precisamos de aprender a reposicionar um grande número de soldados e equipamento de forma mais rápida possível para poder resistir com confiança a uma invasão", explicou o diplomata.

Os ministros da Defesa da Aliança Atlântica debaterão a criação da unidade no decorrer de um encontro que terá lugar em Bruxelas nos dias 7 e 8 de junho. Em meados de julho os integrantes da aliança devem adotar uma declaração política.

A Rússia vem expressando repetidamente suas preocupações quanto ao crescimento da presença militar da OTAN perto de suas fronteiras. Em abril, durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, o presidente russo, Vladimir Putin, indicou que a OTAN está tentando "provocar novos conflitos e agravar os antigos no espaço pós-soviético".

O chanceler russo, Sergei Lavrov, indicou que nenhuma ação da OTAN "aumenta a segurança de ninguém".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas