Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Palestinos devem decidir o destino da Palestina: Aiatolá Khamenei

Líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei afirmou que o destino da Palestina deve ser determinado por palestinos, incluindo muçulmanos, judeus e cristãos, que originalmente viviam no território histórico da Palestina.


Pars Today

“Hoje, a democracia é um método moderno, aceitado pelo mundo inteiro. Nós dissemos que para determinar o destino do país histórico da Palestina, eles devem consultar ao povo da Palestina e esta proposta foi registrada nas Nações Unidas como a opinião da República Islâmica”, disse o aiatolá Khamenei em uma reunião, no domingo, com um grupo de estudantes universitários, professores e acadêmicos em Teerã.

Palestinos devem decidir o destino da Palestina: Aiatolá Khamenei
Aiatolá Seyed Ali Khamenei | Reprodução

O Líder acrescentou que uma pesquisa deve ser conduzida entre os palestinos, que vivem lá há 100 anos ou 80 anos, incluindo muçulmanos, judeus e cristãos, e se vivem dentro de fora dos territórios ocupados. “Então o que quer que tenham dito [e votado] deve ser considerado. Será que isto é uma má ideia? Países europeus não estão preparados para entender isso?”, Perguntou o Líder.

Aludindo à recente visita do primeiro-ministro do regime de Israel, Benjamin Netanyahu, a Europa , onde ele tentou atrair o apoio contra a República Islâmica, disse aiatolá Khameni que o "criminoso" premiê israelense disse aos europeus que o Irã tem a intenção de "destruir os judeus", enquanto na verdade Teerã tenta resolver a causa palestina com base na democracia. “Então aquele opressor [e] perverso… assassino de crianças vai para outros países, visando se mostrar vítima, alegando que o Irã quer acabar com vários milhões da sua população”. “Aquele público europeu também o escuta, balança a cabeça e não diz que são vocês [israelenses] que estão atualmente cometendo esses crimes em Gaza e em Al-Quds”, observou o Líder.

O líder iraniano também se referiu à posição de destaque da República Islâmica na comunidade internacional e especificou que o país persa tem o maior número de inimigos entre os países arrogantes do mundo. "Os inimigos planejam conspirações contra o Irã, mas sempre fracassarão", enfatizou.

Em outro momento de seu discurso, o aiatolá Khamenei destacou os bons passos do Irã em diversas áreas, como a nanotecnologia, a produção de células-tronco, energia atômica, biotecnologia e medicina, entre outras. Além disso, destacando que o Irã tem a capacidade de enriquecer urânio para 20%, acrescentou que todos sabem que "não precisamos do urânio dos EUA, Rússia e França".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas