Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Parlamento cazaque aprova envio de mais tropas para missões da ONU

O Parlamento do Cazaquistão aprovou nesta sexta-feira uma proposta do Governo para expandir as Forças de Paz do país nas missões da ONU no Oriente Médio, Índia e Paquistão.


EFE

Astana - "Proponho o envio de até 40 oficiais das Forças Armadas do Cazaquistão às missões da ONU no Oriente Médio e à missão de observação na Índia e no Paquistão", disse o ministro de Defesa, Saken Zhasuzakov, ao ler o pedido do presidente Nursultan Nazarbayev perante uma sessão do Parlamento.

Nursultan Nazarbayev em foto de 7 de junho. EFE/ Greg Baker
Nursultan Nazarbayev em foto de 7 de junho. EFE/ Greg Baker

A solicitação de Nazarbayev defende também o envio de tropas para a Força Interina para o Líbano e a Força da ONU para o Manutenção da Paz no Chipre.

O Cazaquistão ampliará também a Missão da ONU para o referendo na Saara Ocidental, onde, da mesma forma que na Costa do Marfim, manteve um pequeno contingente de forças de paz desde 2011.

O país centro-asiático enviará também um contingente adicional de até 120 militares para participar da missão da Força Interina da ONU no Líbano como parte das forças militares indianas.

Segundo o líder cazaque, enviar um contingente às missões da ONU "não só fará uma contribuição significativa ao fortalecimento da segurança, mas também fortalecerá a autoridade do Cazaquistão como membro responsável da comunidade internacional".

O Cazaquistão foi eleito o ano passado membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para o biênio 2017-2018.

"É importante para nós mostrar nosso firme compromisso com a paz através de ações concretas nesta direção", disse à Efe o ministro de Relações Exteriores cazaque, Kairat Abdrakhmanov.

"A presença da unidade de paz do Cazaquistão na zona do conflito árabe-israelense, que é o fator mais desestabilizador da segurança regional, confirma a disposição do nosso país a fazer uma contribuição prática à paz no Oriente Médio", acrescentou.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas