Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Parlamento cazaque aprova envio de mais tropas para missões da ONU

O Parlamento do Cazaquistão aprovou nesta sexta-feira uma proposta do Governo para expandir as Forças de Paz do país nas missões da ONU no Oriente Médio, Índia e Paquistão.


EFE

Astana - "Proponho o envio de até 40 oficiais das Forças Armadas do Cazaquistão às missões da ONU no Oriente Médio e à missão de observação na Índia e no Paquistão", disse o ministro de Defesa, Saken Zhasuzakov, ao ler o pedido do presidente Nursultan Nazarbayev perante uma sessão do Parlamento.

Nursultan Nazarbayev em foto de 7 de junho. EFE/ Greg Baker
Nursultan Nazarbayev em foto de 7 de junho. EFE/ Greg Baker

A solicitação de Nazarbayev defende também o envio de tropas para a Força Interina para o Líbano e a Força da ONU para o Manutenção da Paz no Chipre.

O Cazaquistão ampliará também a Missão da ONU para o referendo na Saara Ocidental, onde, da mesma forma que na Costa do Marfim, manteve um pequeno contingente de forças de paz desde 2011.

O país centro-asiático enviará também um contingente adicional de até 120 militares para participar da missão da Força Interina da ONU no Líbano como parte das forças militares indianas.

Segundo o líder cazaque, enviar um contingente às missões da ONU "não só fará uma contribuição significativa ao fortalecimento da segurança, mas também fortalecerá a autoridade do Cazaquistão como membro responsável da comunidade internacional".

O Cazaquistão foi eleito o ano passado membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para o biênio 2017-2018.

"É importante para nós mostrar nosso firme compromisso com a paz através de ações concretas nesta direção", disse à Efe o ministro de Relações Exteriores cazaque, Kairat Abdrakhmanov.

"A presença da unidade de paz do Cazaquistão na zona do conflito árabe-israelense, que é o fator mais desestabilizador da segurança regional, confirma a disposição do nosso país a fazer uma contribuição prática à paz no Oriente Médio", acrescentou.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas