Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasil comemora 20 anos do fim do conflito entre Peru e Equador

O Brasil irá comemorar nesta terça-feira os 20 anos do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, que se prolongaram por quase 170 anos e que causaram várias guerras, tensões e enfrentamentos entre ambos os países.
EFE

Brasília - O Acordo Global e Definitivo de Paz entre Equador e Peru foi assinado em 26 de outubro de 1998 em Brasília, que voltará a ser palco de um encontro entre representantes dessas duas nações, mas agora para reafirmar "o valor e a eficácia da diplomacia e da solução pacífica de controvérsias", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A cerimônia contará com a participação do equatoriano José Ayala Lasso e do peruano Fernando de Trazegnies Granda, que eram os chanceleres de seus países na ocasião da assinatura e tiveram participação ativa nas negociações, e será presidido pelo ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes.

Segundo a nota oficial, a comemoração "também evidencia, uma vez mais, a capacidade regional de responder e…

Pentágono anuncia suspensão das manobras conjuntas dos EUA e Coreia do Sul

A decisão foi tomada depois da declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, que disse ser inadequado realizar "jogos de guerra" na região para que se possa negociar um acordo com Pyongyang.


Sputnik

Durante a coletiva de imprensa depois da cúpula entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Singapura em 12 de junho, Trump disse que é inadequado realizar "jogos de guerra" na região para negociar um acordo com Pyongyang.

Lançamento do sistema de míssil Hyunmoo II durante manobras conjuntas da Coreia do Sul e dos EUA em local desconhecido, julho de 2017
Lançamento de mísseis sul-coreanos Hyummoo II © AP Photo / Ministério da Defesa da Coreia do Sul

"Os grandes exercícios militares foram suspensos indefinidamente na península da Coreia", disse um alto funcionário do governo dos EUA à agencia de notícias AFP.

Anteriormente, o presidente sul-coreano Moon Jae-in declarou que a mudança na pressão militar contra a Coreia do Norte seria possível se Pyongyang "fizesse passos sinceros para a deznuclearização".

Nesta terça-feira (12), o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, assinaram uma declaração conjunta após o encontro histórico na ilha de Sentosa em Singapura.

Depois da cúpula, o presidente dos EUA declarou que os exercícios militares na região eram "provocatórios" e poderiam ser suspensos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas