Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Presença militar da Rússia e EUA no mundo: que país tem mais bases?

A Rússia é capaz de exercer influência no palco mundial apesar de ter menos bases militares em comparação com os EUA, escreve a revista Newsweek.


Sputnik

O número de grandes estruturas militares russas no exterior equivale a 21, enquanto Washington tem de 600 a 900 instalações desse tipo. Ainda que o número inclua bases com, no máximo, dez militares estadunidenses, os EUA superam em mais de dez vezes a Rússia no que tange ao número de estruturas militares, nota o autor do artigo.

Soldados aguardam cerimônia de abertura da seção norte do escudo antimíssil em base militar na Polônia com bandeira dos EUA no plano de fundo
Militares dos EUA na Polônia © AFP 2018/ WOJTEK RADWANSKI

No entanto, tal proporção não impede que a Rússia exerça uma influência "desproporcionalmente grande" em algumas regiões, opina Evelyn Farkas, ex-vice-assessora do secretário da Defesa dos EUA para assuntos da Rússia e Eurásia.

Na sua opinião, Moscou "em geral economiza muito em forças e usa o número necessário de recursos para alcançar os objetivos declarados".

"Se a Rússia tivesse mais recursos, acho que eles acordariam de bom grado em ter tais capacidades que permitissem mais bases militares. Entretanto, agora Moscou faz tudo o possível com os recursos à sua disposição", concluiu Farkas.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas