Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Chefe da ONU diz que é essencial evitar escalada de tensões no Irã

O chefe da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, alertou neste domingo que é essencial evitar “qualquer forma de escalada” das tensões no Golfo, em meio a temores de um conflito após a derrubada de um drone norte-americano pelo Irã na semana passada.
Por Catarina Demony | Reuters

LISBOA (Reuters) - “O mundo não pode permitir um grande confronto no Golfo”, disse Guterres, nos bastidores da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, em Lisboa . “Todos devem manter nervos de aço.”

Na quinta-feira, um míssil iraniano destruiu um drone de vigilância dos EUA, em um incidente que o governo norte-americano disse que aconteceu no espaço aéreo internacional.

Trump disse mais tarde que ordenou o cancelamento de um ataque militar em retaliação pela ação que poderia ter resultado em 150 mortes.

Teerã repetiu no sábado que o drone foi abatido sobre seu território e disse que responderia com firmeza a qualquer ameaça dos EUA.

Os comentários de Guterres vêm um dia depois…

Presidente de Taiwan acusa China de "ameaçar" democracia da ilha

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, advertiu nesta segunda-feira que o site diplomático chinês sobre a ilha "ameaça" sua democracia e chamou os países democráticos a se unir e combater as forças antidemocráticas que buscam uma regressão no mundo.


EFE

Taipé - "No século XXI, a democracia está em retrocesso", disse Tsai durante um fórum organizado pela Fundação Taiwan pela Democracia, onde advertiu que "embora a democracia pode avançar, também pode retroceder".

Resultado de imagem para Tsai Ing-wen
Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen | Reprodução

Para a presidente taiuanesa, é imperativo que os países democráticos "trabalhem unidos e estejam unidos para lutar contra a coerção militar, política e econômica não desejada e defender os valores entesourados".

Tsai também se referiu ao site diplomático chinês e sua intimidação militar "que ameaçam nosso modo de vida democrático e limitam o nosso espaço internacional", disse Tsai.

"Mas para Taiwan, retroceder no caminho da democracia não é uma opção", acrescentou a governante em relação aos de representantes de organizações democráticas da Tunísia, Índia, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos.

A presidente taiuanesa advertiu sobre o crescente poderio das forças antidemocráticas e sobre sua interferência em vários países, não só em Taiwan, mas também na Austrália, Nova Zelândia, EUA e Europa.

A sobrevivência da democracia depende da forte defesa dos valores e da cooperação e união dos países democráticos, em uma batalha mundial que acontece em Taiwan, Austrália, EUA, Europa e outros lugares do mundo, disse Tsai.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas