Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Rússia e Turquia produzirão S-500 em conjunto? Especialista revela se isso é possível

Recentemente, o presidente turco, Recep Tayyp Erdogan, propôs ao presidente russo, Vladimir Putin, a produção conjunta de mísseis S-500. Analista militar russo comenta as perspectivas dessa proposta.


Sputnik

"A Rússia nos concedeu um crédito para a compra de S-400 em condições aceitáveis. Na segunda e terceira etapas começaremos a produção conjunta. Também propus à Rússia a produção conjunta dos S-500", cita o presidente turco a agência de notícias Anadolu.

Sistema modernizado da defesa antiaérea S-400
S-400 Triumph russo © Sputnik / Dmitriy Vinogradov

Mais cedo, o líder turco declarou que Ancara está pronta para usar os sistemas antiaéreos russos S-400 caso seja necessário. "São sistemas de defesa. O que vamos fazer com eles senão usá-los?", perguntou Erdogan.

Nessa conexão, o analista miliar Viktor Baranets avaliou a proposta de Ancara em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, comentando também a possibilidade de Moscou concordar com a ideia.

"A proposta de Erdogan parece exótica e misteriosa. Principalmente porque agora nem todos os assuntos ligados à compra dos nossos complexos S-400 usando o crédito russo por parte da Turquia estão resolvidos. Além do mais, o complexo S-500 encontra-se na fase final de testes e ainda não entrou em serviço do Exército russo", afirmou.

Assim, o analista opina que tal acordo "agora é pouco provável, visto que não temos experiência de a Rússia começar a produção conjunta de novíssimo material bélico com qualquer outro país".

Nessa conexão, ele lembrou uma antiga resolução das autoridades russas segundo a qual "uma nova arma deve primeiramente entrar em serviço do exército e só depois é possível levantar a questão da sua produção conjunta ou venda a outro país".

Em dezembro de 2017, Turquia e Rússia assinaram um contrato de venda de sistemas de mísseis antiaéreos S-400. Ancara comprará duas baterias deste sistema de defesa antiaérea, que serão operadas pelo contingente turco. Os dois lados concordaram em cooperar no desenvolvimento de produção de S-400 na Turquia. Erdogan informou que o adiantamento do contrato já foi pago.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas