Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Senado estadunidense proíbe venda de aviões militares à Turquia

Meios de comunicação da Turquia recolheram hoje em suas manchetes a decisão do Senado dos Estados Unidos de proibir a venda de aviões de combate F-35 fabricados pela empresa Lockheed Martin.


Prensa Latina

Ancara - A câmera estadunidense, controlada pelos republicanos, aprovou ontem, por 85 votos contra 10, um projeto de lei de defesa (NDAA) que inclui uma emenda pela qual se impede a transferência de tecnologia militar à Turquia.

F-35 Lightining II | Reprodução

Antes que o NDAA se converta em lei, deverá ser ratificada pelo Congresso e aprovada pelo presidente Donald Trump, que deverá certificar que Turquia não constitui uma ameaça para a OTAN, por sua compra de armamento à Rússia, nem detém cidadãos estadunidenses.

Estas cláusulas foram incluídas pelos senadores em referência à aquisição do sistema balístico de defesa aérea S-400 russo, que poderia gerar tensões e riscos para a Aliança Atlântica, e o encarceramento do sacerdote estadunidense Andrew Brunson na Turquia, acusado de terrorismo e espionagem.

O ministro de Relações Exteriores turco, Mevlüt Cavusoglu, assegurou dias atrás que seu governo tentou comprar dos EUA o sistema de defesa aérea Patriot sem sucesso, 'esta é a razão pela qual Turquia, que precisa urgentemente destas armas, decidiu comprá-las da Rússia', acrescentou.

Sobre os aviões de combate F-35, Cavusoglu disse que se Washington impedisse a venda recorreriam a outros mercados ou, inclusive, a produzir seus próprios aparelhos, e acrescentou que 'se os EUA nos impõem sanções ou dá esse passo, Turquia empreenderá represálias'.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas