Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Senador russo: postura da Arábia Saudita não afetará fornecimento de S-400 a Qatar

A postura da Arábia Saudita não afetará os planos da Rússia de fornecer sistemas de defesa antiaérea S-400 ao Qatar, afirmou à Sputnik o vice-presidente do Comitê para a Defesa e Segurança do Conselho da Federação, Alksei Kondratiev.


Sputnik

No dia 2 de junho, o jornal Le Monde informou que o rei saudita Salman bin Abdulaziz enviou uma carta ao presidente francês Emmanuel Macron, pedindo-lhe para ajudar a evitar a venda do sistema antiaéreo russo S-400 e avisado que, caso contrário, Riad poderia recorrer a medidas drásticas.

Sistemas de defesa antimíssil S-400 russos na Crimeia
Sistema de defesa antiaérea russo S-400 Triumph © Sputnik / Sergei Malgavko

"A Rússia age motivada por seus próprios interesses no que se refere ao fornecimento dos S-400 ao Qatar, ganhando dinheiro para o orçamento estatal. A posição da Arábia Saudita não tem nada a ver com isso, a Rússia não vai mudar seus planos", assinalou Alksei Kondratiev.

Entretanto, Kondratiev acredita que a postura de Riad quanto à questão foi causada pela pressão por parte dos EUA.

"Washington não quer perder o mercado de armas regional, para eles é um mercado apetecível e, por isso, os EUA continuarão pressionando os sauditas", indicou.

Anteriormente, o embaixador do Qatar na Rússia, Fahad Bin Mohammed al Attiya, comunicou que Doha estava negociando com Moscou a compra de sistemas de defesa antiaérea S-400.

No ano passado, durante uma visita a Doha do ministro da Defesa russo, Sergey Shoigu, a Rússia e o Qatar assinaram um acordo intergovernamental sobre a cooperação técnica e militar.

O Qatar intensificou as negociações sobre a compra dos sistemas antiaéreos em meio ao agravamento da crise nas relações com os países vizinhos: Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos.

Em junho de 2017, os três países romperam relações diplomáticas com o Qatar e introduziram um bloqueio econômico, acusando Doha de patrocinar o terrorismo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas