Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Senador russo: postura da Arábia Saudita não afetará fornecimento de S-400 a Qatar

A postura da Arábia Saudita não afetará os planos da Rússia de fornecer sistemas de defesa antiaérea S-400 ao Qatar, afirmou à Sputnik o vice-presidente do Comitê para a Defesa e Segurança do Conselho da Federação, Alksei Kondratiev.


Sputnik

No dia 2 de junho, o jornal Le Monde informou que o rei saudita Salman bin Abdulaziz enviou uma carta ao presidente francês Emmanuel Macron, pedindo-lhe para ajudar a evitar a venda do sistema antiaéreo russo S-400 e avisado que, caso contrário, Riad poderia recorrer a medidas drásticas.

Sistemas de defesa antimíssil S-400 russos na Crimeia
Sistema de defesa antiaérea russo S-400 Triumph © Sputnik / Sergei Malgavko

"A Rússia age motivada por seus próprios interesses no que se refere ao fornecimento dos S-400 ao Qatar, ganhando dinheiro para o orçamento estatal. A posição da Arábia Saudita não tem nada a ver com isso, a Rússia não vai mudar seus planos", assinalou Alksei Kondratiev.

Entretanto, Kondratiev acredita que a postura de Riad quanto à questão foi causada pela pressão por parte dos EUA.

"Washington não quer perder o mercado de armas regional, para eles é um mercado apetecível e, por isso, os EUA continuarão pressionando os sauditas", indicou.

Anteriormente, o embaixador do Qatar na Rússia, Fahad Bin Mohammed al Attiya, comunicou que Doha estava negociando com Moscou a compra de sistemas de defesa antiaérea S-400.

No ano passado, durante uma visita a Doha do ministro da Defesa russo, Sergey Shoigu, a Rússia e o Qatar assinaram um acordo intergovernamental sobre a cooperação técnica e militar.

O Qatar intensificou as negociações sobre a compra dos sistemas antiaéreos em meio ao agravamento da crise nas relações com os países vizinhos: Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos.

Em junho de 2017, os três países romperam relações diplomáticas com o Qatar e introduziram um bloqueio econômico, acusando Doha de patrocinar o terrorismo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas