Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Suécia mobiliza todos os seus reservistas pela primeira vez em 40 anos

A Suécia convocou 22 mil reservistas da Guarda Nacional - um corpo permanente de reservistas voluntários - pela primeira vez em mais de quatro décadas, informou o portal oficial do Ministério da Defesa escandinavo.


Sputnik

Os reservistas suecos dos 40 batalhões participaram de uma manobra militar de larga escala que visava fortalecer a capacidade operacional e defensiva do país, segundo o Comandante Supremo Micael Byden.

Reservistas suecos
Reservistas suecos © REUTERS / Jonas Ekstromer

"Estamos ensaiando a cadeia de mobilização da nossa organização, algo que não fazemos desde 1975", explicou o militar.

A principal função da Guarda Nacional é realizar tarefas militares secundárias, como monitorar infraestruturas importantes ou patrulhar as ruas. O comandante da instituição, o major-general Roland Ekenberg, comemorou os resultados. "Sinto respeito pelas pessoas que voluntariamente escolheram participar deste exercício", afirmou.

Durante a simulação, que coincidiu com o Dia Nacional da Suécia, os voluntários realizaram trabalhos de patrulha, vigilância e proteção nas ruas e aeroportos do país.

As manobras fazem parte de uma série de medidas aprovadas pela Suécia — um país neutro associado à OTAN — após o aumento das tensões no Báltico, na esteira da guerra no leste da Ucrânia. Estas medidas incluem também a restauração do serviço militar obrigatório no país e o consentimento para operações de tropas da OTAN em território sueco.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas