Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel concentra mais forças na fronteira com Faixa de Gaza e está pronto a agir

As Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) concentraram mais forças na fronteira com a Faixa de Gaza e estão prontas para usá-las se for necessário, comunica a assessoria da entidade militar.
Sputnik

A decisão foi tomada no decurso da reunião no Estado-Maior e é uma resposta aos combates de ontem (11), que causaram morte de um militar israelense e sete palestinos.


"As IDF aumentaram suas forças no Distrito Sul e estão dispostas, se for preciso, a agir com mais vigor", destaca o comunicado da entidade.

No decurso da operação militar que teve lugar no enclave palestino neste domingo (11) um tenente coronel de uma unidade especial israelense foi morto. Ao mesmo tempo, a parte palestina perdeu sete homens, inclusive um comandante militar. Após os confrontos, os palestinos lançaram 17 mísseis contra o sul de Israel, dois deles foram interceptados pelos sistemas de defesa antiaérea Iron Dome (Cúpula de Ferro).

Foi igualmente informado que, tendo em conta a situação, o prim…

Trump confirma reunião com Kim Jong-un no dia 12 de junho

Anúncio ocorreu após conversa entre presidente americano e braço-direito de líder norte-coreano na Casa Branca. Encontro acontecerá em Singapura.


Por G1

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou que se encontrará com o líder norte-coreano Kim Jong-un no dia 12 deste mês em Singapura.

Combinação de fotos mostra o presidente dos EUA Donald Trump e o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-Un (Foto: Nicholas Kamm/AFP; KCNA via KNS)
Combinação de fotos mostra o presidente dos EUA Donald Trump e o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-Un (Foto: Nicholas Kamm/AFP; KCNA via KNS)

A repórteres no gramado da Casa Branca, ele afirmou nesta sexta-feira (1º) que estaria cometendo um erro se não seguisse adiante na cúpula sobre armas nucleares.

"Acho que provavelmente será um processo muito bem-sucedido", afirmou.

O anúncio ocorreu após uma reunião entre o republicano e o braço-direito de Kim Jong-un, Kim Yong-chol, na residência oficial americana.

A previsão era de que, no encontro, o representante entregasse a Trump uma carta escrita pelo presidente norte-coreano.

Nesta quinta (31), Yong-chol também conversou com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

Encontro histórico

A reunião entre Trump e Kim será a primeira entre líderes em exercício dos Estados Unidos e Coreia do Norte.

Marcado pela primeira vez em março, o encontro havia sido cancelado pelo presidente americano em maio. Ao anunciar a decisão, Trump apontou "enormes raiva e hostilidade" em declarações do líder norte-coreano.

Na ocasião, a Coreia do Norte respondeu dizendo que a decisão não estava "alinhada com os desejos do mundo" e que ainda gostaria de resolver suas questões com os americanos.

Na conversa do próximo dia 12, Trump quer pressionar Pyongyang a desistir de suas armas nucleares. Nesta sexta, ele indicou esperar que várias cúpulas sejam necessárias para resolver todos os problemas pendentes.

A Coreia do Norte, cujas ambições nucleares têm sido uma fonte de tensão há décadas, fez avanços na tecnologia de mísseis nos últimos anos. Os EUA temem o desenvolvimento de mísseis nucleares que poderiam atingir o país.

Em troca da "desnuclearização", Trump promete o alívio de sanções econômicas ao país. "Estou ansioso para o dia em que eu possa tirar as sanções da Coreia do Norte", disse o republicano.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas