Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Ucrânia realiza treinamentos militares perto da Crimeia

A Marinha da Ucrânia realizou exercícios no território da região de Kherson, perto da fronteira com a península da Crimeia, segundo informou a Marinha da Ucrânia no Facebook na quarta-feira (27).


Sputnik

"O objetivo do evento visa a defesa da costa marítima e a destruição do adversário que realiza uma ofensiva a partir dos territórios ocupados", diz a mensagem.

Barco de mísseis Priluki da Marinha da Ucrânia
Lancha de mísseis Priluki da Marinha da Ucrânia © Sputnik / Vasiliy Batanov

Nota-se que os artilheiros treinaram a eliminação de alvos nas áreas de povoações "temporariamente ocupadas". Foi dedicada uma atenção especial à ação dos artilheiros em condições de baixa visibilidade e durante a noite, afirmou o comando.

Em 19 de junho, o conselheiro do ministro dos Assuntos dos Territórios Ocupados da Ucrânia, Aleksandr Levchenko, disse que, se a Rússia não permitir que a Ucrânia retome o controle das regiões de Donetsk e Lugansk, Kiev partirá para o "Plano B" e se voltará para a Crimeia.

A Crimeia foi reintegrada no território russo em março de 2014 em sequência dos resultados do referendo em que a grande maioria dos residentes votaram a favor da adesão à Rússia. Kiev e os países ocidentais se recusaram a reconhecer os resultados do plebiscito. Moscou sublinha que o procedimento de reintegração da região cumpriu as normas do direito internacional.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas