Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Analista: entrega de dados de Israel sobre abate de Il-20 significa muito para Rússia

O comandante da Força Aérea Israelense, Amikam Norkin, forneceu ao Ministério da Defesa da Rússia dados sobre o incidente com o avião russo Il-20 na Síria. Israel demonstra que não pretende perder a cooperação estabelecida com a Rússia, disse o analista político Stanislav Tarasov durante uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.
Sputnik

Além destas informações sobre o abate da aeronave, Israel também avisou sobre "as tentativas do Irã de fortalecer sua posição na Síria e entregar armas estratégicas ao Hezbollah". Os militares observaram que é necessário continuar coordenando as ações na Síria, ressaltando a importância de respeitar os interesses dos dois países.

O avião russo Il-20 foi abatido sobre o mar Mediterrâneo no dia 17 de setembro, a 35 quilômetros da costa síria, por um míssil do sistema antiaéreo S-200 da Síria, resultando na morte de 15 militares.

Ao mesmo tempo, quatro caças F-16 atacaram instalações sírias em Latakia. De acordo com o Ministério da Defesa da…

Ucrânia realiza treinamentos militares perto da Crimeia

A Marinha da Ucrânia realizou exercícios no território da região de Kherson, perto da fronteira com a península da Crimeia, segundo informou a Marinha da Ucrânia no Facebook na quarta-feira (27).


Sputnik

"O objetivo do evento visa a defesa da costa marítima e a destruição do adversário que realiza uma ofensiva a partir dos territórios ocupados", diz a mensagem.

Barco de mísseis Priluki da Marinha da Ucrânia
Lancha de mísseis Priluki da Marinha da Ucrânia © Sputnik / Vasiliy Batanov

Nota-se que os artilheiros treinaram a eliminação de alvos nas áreas de povoações "temporariamente ocupadas". Foi dedicada uma atenção especial à ação dos artilheiros em condições de baixa visibilidade e durante a noite, afirmou o comando.

Em 19 de junho, o conselheiro do ministro dos Assuntos dos Territórios Ocupados da Ucrânia, Aleksandr Levchenko, disse que, se a Rússia não permitir que a Ucrânia retome o controle das regiões de Donetsk e Lugansk, Kiev partirá para o "Plano B" e se voltará para a Crimeia.

A Crimeia foi reintegrada no território russo em março de 2014 em sequência dos resultados do referendo em que a grande maioria dos residentes votaram a favor da adesão à Rússia. Kiev e os países ocidentais se recusaram a reconhecer os resultados do plebiscito. Moscou sublinha que o procedimento de reintegração da região cumpriu as normas do direito internacional.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas