Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Analista: destróier Lider será 'o poder de fogo principal' da Marinha russa

A mídia norte-americana descreveu o destróier russo Lider do projeto 23560 como o navio "mais fortemente armado no mundo". Analista naval russo destaca as especificidades do futuro navio.


Sputnik

O portal Military Watch afirmou em seu artigo que as características do Lider superam significativamente as de quase todos os navios de guerra existentes, ressaltando os vários sistemas de mísseis e de defesa antimíssil com que poderá ser equipado o navio.

Maqueta do destróier russo Lider em uma exposição militar
CC BY-SA 3.0 / Artem Tkachenko / Mock Leader class destroyer on «Army 2015» 2

O capitão-de-mar-e-guerra na reserva e analista naval Vasily Dandykin apontou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik a peculiaridade do destróier russo que, na opinião dele, "será o poder de fogo principal da Marinha" do país.

"O nosso navio Lider se diferenciará [dos navios chineses e norte-americanos] por ter um reator nuclear […] — serão utilizados os reatores que são usados nos nossos quebra-gelos nucleares", disse Dandykin.

Quanto às armas, o futuro navio russo será igual tanto aos chineses como aos estadunidenses, acredita o analista. Porém, acrescenta, quanto à navegabilidade, o Lider vai até superar os seus análogos estrangeiros.

Segundo Dandykin, a Rússia é uma grande potência naval e precisa de navios deste nível.

"Claro que isso implicará muitas despesas, mas, por outro lado, o desenvolvimento de tecnologias avançadas terá efeitos positivos, inclusive para a economia russa", sublinhou.

Está previsto iniciar a construção do Lider após 2020. Supõe-se que o navio terá 200 metros de comprimento, 20 metros de boca e deslocamento de 17,5 mil toneladas. A embarcação será capaz de atingir a velocidade de 30 nós (55,5 km/h) e terá uma autonomia de 90 dias. o destróier será equipado com cerca de 60 mísseis de cruzeiro antinavio, 128 mísseis guiados antiaéreos e 16 mísseis guiados antissubmarino.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas