Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

China se tornaria novo inimigo da Nova Zelândia?

Nova Zelândia comprará quatro aviões de patrulha marítima norte-americanos Boeing P-8A Poseidon para substituir os seis Lockheed P-3K2 Orion que foram incorporados na sua Força Aérea nos anos 60, anunciou o ministro da Defesa neozelandês Ron Mark.


Sputnik

"Graças a esta aquisição, a Força de Defesa poderá continuar as missões de vigilância marítima, proteção de recursos, ajuda humanitária e resposta a desastres ao largo da Nova Zelândia e no Pacifico Sul", declarou ele.


Aeronave da Marinha dos EUA, P-8A Poseidon, produzida pela Boeing
Boeing P-8A Poseidon © AFP 2018 / CARL COURT / AFP

O ministro lembrou que "as patrulhas marítimas dos Orion contribuíram para salvar 119 vidas na região nos últimos sete anos".

O valor do contrato será de cerca de 2,35 bilhões de dólares neozelandeses ou 1,6 bilhões de dólares.

Segundo as previsões, os Boeing P-8A Poseidon entrarão em serviço em 2023.

A compra dos Poseidon, amplamente considerado como o avião mais avançado do mundo na guerra antissubmarino, indica a disposição da Nova Zelândia de ajudar seus aliados a conter Pequim no mar do Sul da China, afirmaram os analistas citados pela Reuters.

A notícia sobre a compra dos quatro Boeing P-8A Poseidon chegou depois de uma declaração das autoridades da Nova Zelândia que a crescente influência da China no Pacifico Sul poderia minar a estabilidade na região.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas