Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Confira navio de guerra russo 'mais fortemente armado no mundo', segundo mídia americana

O destróier Lider do projeto 23560 da Marinha da Rússia se tornará o "navio de guerra mais fortemente armado no mundo" e se tornará um concorrente digno dos adversários potenciais, avalia a mídia norte-americana.


Sputnik

De acordo com o portal Military Watch, as características avançadas do Lider superam significativamente os parâmetros de quase todos os navios existentes.

Resultado de imagem para project 23560 lider-class destroyer
Maquete do destróier russo Lider | Reprodução

Está previsto equipar o destróier com sistemas de mísseis semelhantes aos instalados nos destróieres chineses Type 055, mas com uma exceção: os russos serão mais modernos, informa o portal.

O Lider também poderá ser dotado de uma versão modificada do sistema de defesa antimíssil S-500 Prometey para protegê-lo de mísseis de longo alcance. Ademais, é possível que o navio seja armado com sistemas Pantsir-S1, S-350 Vityaz e Poliment-Redut, especificamente modernizados para a Marinha da Rússia.

"Os destróieres irão portar cerca de 200 lançadores verticais usando o sistema de lançamento 'a frio' [arranque do motor depois da saída do míssil do lançador] para diversos tipos de armas, inclusive antinavio, antissubmarino e antiaéreas", comunica o Military Watch.

Na opinião do autor do artigo, tal armamento terá "importância crucial" para combater ameaças militares modernas no mar e garantirá o êxito dos grupos aeronavais.

No futuro, sublinha o autor, os navios do projeto 23560 poderiam ser equipados com mísseis de cruzeiro Kalibr, mísseis hipersônicos de longo alcance, tais como o Zircon, bem como com a versão modificada do novíssimo míssil Kinzhal. Tudo isso faz com que o destróier seja um projeto com "grandes perspectivas", ressalta o autor.

Seguindo o renascimento da capacidade de combate espacial, aérea e terrestre do exército russo, o Lider irá marcar a recuperação pela Rússia do estatuto de grande potência naval, escreve o Military Watch.

Está previsto iniciar a construção do Lider após 2020. Supõe-se que o navio terá 200 metros de comprimento, 20 metros de boca e deslocamento de 17,5 mil toneladas. A embarcação será capaz de atingir a velocidade de 30 nós (55,5 km/h) e terá uma autonomia de 90 dias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas