Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Coreia do Sul manifesta protesto por causa de voo de aviões militares russos

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul pediu ao adido militar russo, Andrei Falileev, para que comparecesse na entidade, devido ao voo de caças estratégicos Tu-95MS que, segundo assegura a parte sul-coreana, teriam violado sua zona de reconhecimento de defesa antiaérea, comunica a mídia do país asiático.


Sputnik

"A invasão por parte dos aviões russos da zona de reconhecimento da defesa antiaérea não contribui para os esforços de estabilização da situação na península coreana e na Ásia do Nordeste. Devido ao fato de haver risco de colisão no ar, pedimos que a Rússia reconheça o caráter sério do incidente e tome medidas para não deixar que nada parecido aconteça no futuro", escreve a agência Yonhap, citando um comunicado do ministério sul-coreano.

Resultado de imagem para Tu-95MS
Tupolev Tu-95 MS | Reprodução

Além disso, a chancelaria do país expressou seu descontentamento pelo incidente a Maksim Volkov, segundo posto na embaixada russa em Seul.

Mais cedo, a agência informou, citando o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul, que aviões estratégicos russos haviam entrado na zona de reconhecimento da defesa antiaérea do país quatro vezes, ficando lá por cerca de 20 minutos, mas a deixaram após receber uma notificação.

De acordo com os militares sul-coreanos, não é a primeira vez que os aviões ultrapassam essa fronteira neste ano, mas foi a primeira vez que o fizeram quatro vezes em um só dia.

Já o Ministério da Defesa da Rússia, por sua vez, disse à Sputnik que dois Tu-95MS haviam realizado os voos planejados por cima das águas neutras do mar do Japão e mar Amarelo, bem como na parte ocidental do Pacífico.

Enquanto isso, em certos trechos da sua rota foram acompanhados por caças sul-coreanos e japoneses. Durante o voo, as tripulações russas treinaram também o reabastecimento em voo.

Todos os voos se efetuaram em restrita concordância com as regras internacionais, sem violação das fronteiras de outros Estados, ressaltou a entidade militar russa.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas