Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Devido a erros de cálculos, novo submarino espanhol S-80 Plus não cabe na doca

O novo submarino espanhol, cuja construção é feita pela empresa Navantia e foi encomendada pelo Ministério da Defesa, enfrentou o sério problema de não caber na doca, informa o jornal El País.


Sputnik

Primeiramente no projeto, que começou a ser desenvolvido em 2005, foram feitos erros nos cálculos. Com 71 metros de comprimento e deslocamento de 2.200 toneladas, o S-80 poderia não emergir após a submersão.

Novo submarino S-80 Plus da Marinha espanhola não cabe na doca da base naval de Cartagena

O Ministério da Defesa espanhol contratou em 2013, por 14 milhões de euros (quase 63 milhões de reais), a empresa americana Electric Boat, que emitiu a conclusão que era necessário aumentar o comprimento do submarino em dez metros, o que aumentou o deslocamento à superfície para 3.200 toneladas. O modelo revisado foi chamado de S-80 Plus.

No entanto, agora com novas dimensões, ele não pode se acomodar nas docas da base naval de Cartagena, que são projetadas para um comprimento máximo de 78 metros.

Agora, o maior problema para o Ministério da Defesa é conseguir dinheiro para expandir as docas. A reestruturação custará 16 milhões de euros (aproximadamente 71 milhões de reais).

O custo inicial do projeto para a construção de quatro submarinos foi estimado em 2,1 bilhões de euros (9,4 bilhões de reais), mas com todas as alterações o novo custo é estimado em 3,9 bilhões de euros (17,4 bilhões de reais).

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas