Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Embaixadora na ONU: Rússia 'nunca será amiga' dos EUA

A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, afirmou em entrevista ao canal CBN que Washington não confia em Moscou e "nunca irá" confiar.


Sputnik

"Não cofiamos na Rússia, não confiamos em Putin, nunca iremos", disse Haley ao canal. "Eles nunca serão nossos amigos. É simplesmente um fato", acrescentou.

Embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, em reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria, na sede da ONU em Nova York
Embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley © AFP 2018 / Jewel SAMAD

Ao mesmo tempo, a diplomata sublinhou a importância do encontro entre os presidentes Vladimir Putin e Donald Trump e afirmou estar contente com a política de Washington em relação a Moscou.

Haley fez um discurso semelhante em abril dizendo que apesar da Rússia não ser amiga dos EUA, isso não significa que Washington não quer cooperar.

Na segunda-feira passada (16), Putin e Trump realizaram a primeira cúpula formal na capital finlandesa de Helsinque, onde as negociações duraram quatro horas no total.

Após o fim do encontro, Putin disse que as partes abordaram quase todos os assuntos bilaterais e até chegaram a acordos em certas questões. O líder norte-americano também avaliou positivamente a cúpula com o homólogo russo, frisando que os laços entre Moscou e Washington são importantes para todo o mundo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas