Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

General sírio aposentado: Damasco pode tomar Colinas de Golã de Tel Aviv

O comando sírio chegou a um acordo com os agrupamentos de terroristas remanescentes na província de Quneitra quanto à sua retirada para Idlib, no norte do país, segundo a agência nacional síria SANA.


Sputnik

A agência relata que o acordo prevê que a parte dos militantes que recusou a reconciliação seja retirada, os restantes passarão por um processo de reabilitação e recuperação de sua situação pessoal. Por sua vez, as forças governamentais devem recuperar o controle sobre todo o território da província de Quneitra, tal como era antes do conflito na Síria em 2011.

Soldados israelenses nas Colinas de Golã, perto da fronteira com a Síria, foto de arquivo
Tropas israelenses nas Colinas de Golã © REUTERS / Ronen Zvulun

O general de brigada aposentado sírio Ali Maqsoud disse à Sputnik Árabe que, depois de mandar os terroristas que não concordaram com o acordo ao norte do país, o exército restaurará as fronteiras com Israel de 2011.

"Depois disso, podemos negociar com Israel, incluindo sobre o retorno das Colinas de Golã a Damasco. Agora, no sul da Síria, a vantagem está do lado de Damasco e não de Tel Aviv", disse.

Segundo ele, depois do fracasso do plano de criar uma zona tampão no sul da Síria, os israelenses perderam a possibilidade de pressionar Damasco. Este é um momento favorável para esta alcançar seus próprios objetivos. A Síria quer recuperar todas as suas terras, e não importa quando exatamente elas foram ocupadas.

O militar aposentado observou que o governo sírio não interfere quando Israel ajuda terroristas a deixar Quneitra por caminhos e corredores secretos.

"Para o exército agora o importante é libertar toda a província e estabelecer seu controle. É bom que isso aconteça com uma destruição mínima de infraestruturas e edifícios", explicou Maqsoud.

As Colinas de Golã é um território disputado no Oriente Médio que fazia parte da Síria até 1967. A área foi capturada por Israel durante a Guerra dos Seis Dias. As Colinas de Golã são consideradas o celeiro de Israel, onde são plantados trigo, algodão, azeitonas, tomates, amêndoas e plantas subtropicais.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas