Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

General ucraniano: defesa antiaérea do país se encontra em estado deplorável

O sistema ucraniano de defesa antiaérea se encontra em estado deplorável porque a maioria dos mísseis é produzida na Rússia, e os demais estão sendo retirados de serviço, escreveu em seu blog no portal Obozrevatel Dmitry Umanets, tenente-geral na reserva das Forças Armadas da Ucrânia.


Sputnik

Para o militar, o sistema de defesa antiaérea da Ucrânia tem certo potencial que, em primeiro lugar, consiste na presença de sistemas de mísseis antiaéreos Buk-M1.

Sistema ucraniano de mísseis Buk-M1
Sistema antiaéreo ucraniano Buk M1 © Foto: Ministério da Defesa da Ucrânia

Ao mesmo tempo, ele observou que toda a produção dos sistemas de defesa antiaérea e a respectiva base científica permanecem na Rússia. As autoridades de Kiev não têm pressa nem mesmo em reparar os sistemas existentes.

Além disso, o militar ucraniano acrescentou que há problemas com o abastecimento de munições. Em particular, os mísseis para o S-300 são fabricados na Rússia e os mísseis para o S-125 foram retirados de serviço na Ucrânia. Não há munições para o S-200 no país.

"Quanto aos mísseis, usamos o parque antigo, que permaneceu nas bases e armazéns", disse Umanets.

Ele também observou que nos últimos anos as empresas ucranianas conseguiram recuperar um quarto do parque de lança-mísseis Buk-M1, portanto é possível também começar a produzir mísseis no país.

Recentemente, o tenente-general ucraniano Igor Romanenko exigiu que o país desenvolva mísseis capazes de atingir Moscou e São Petersburgo. Ele inclusive propôs a conclusão do desenvolvimento dos mísseis Garpun e Grom-2, de modo que seu alcance atingisse milhares de quilômetros.

No obstante, o general reconheceu que Kiev terá problemas com a implementação de tais programas devido às restrições internacionais — o alcance máximo permitido de um míssil terra-terra é de 300 quilômetros.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas