Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Israel quer comprar mais caças F-15 no lugar de mais F-35

Israel negocia compra US$ 11 bilhões em aeronaves da Boeing


Poder Aéreo

Israel está considerando a compra de novos aviões de combate F-15 para a Força Aérea, como parte do maior acordo de defesa na história do país.

F-15I
F-15I

O negócio com a fabricante de aeronaves Boeing, no valor de US $ 11 bilhões, deve incluir três componentes principais: uma frota de caças, uma frota de helicópteros de transporte e aviões-tanque de reabastecimento aéreo. Os dois últimos componentes são especialmente críticos porque os atuais helicópteros de transporte e aviões de reabastecimento da Força Aérea de Israel estão extremamente desatualizados e exigem uma substituição imediata.

Semelhante aos acordos de aquisição de aeronaves anteriores nas últimas décadas, Israel usará ajuda de defesa americana para pagar pelas frotas. Espera-se que o acordo seja distribuído ao longo de aproximadamente 10 anos, a partir do momento em que o acordo é assinado e até a última aeronave ser entregue a Israel.

O Ministério da Defesa e as IDF têm trabalhado para concluir este acordo por algum tempo. O principal ponto de debate envolveu a questão de comprar ou não cada componente de um fabricante diferente ou de todos os três da mesma empresa – o que, em última análise, veio com melhores condições de pagamento, fornecimento e manutenção.

Até recentemente, os oficiais das IDF acreditavam que o F-35 seria o último caça tripulado israelense a ser comprado, tanto para preservar a vantagem qualitativa da Força Aérea sobre outros países da região quanto para minimizar os tipos de aviões que teria que operar – reduzindo despesas operacionais. No entanto, houve uma mudança de política e agora o plano é comprar outro esquadrão de F-15 avançados, como parte do acordo geral com a Boeing.

O jato, desenvolvido a partir do F-15 original, será completamente novo e será conhecido como o F-15IA (um acrônimo para Israel Advanced).

FONTE: Israel Hayom

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas