Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Jovem com Down se alista no Exército e presta juramento à bandeira, no Pará: 'fiquei emocionado'

Gabriel Valente, 18 anos, é morador de Alenquer, oeste do estado. Ele e outros 37 jovens participaram da cerimônia de entrega dos Certificados de Dispensa de Incorporação.


Por Adonias Silva | G1 Santarém, PA

Patriotismo! Essa é a palavra que resume a força de vontade e o sentimento do jovem Gabriel Valente, de 18 anos, de Alenquer, oeste do Pará. O jovem, com Síndrome de Down, fez questão de se alistar no serviço militar, mas, por conta do excesso de contingência, foi dispensado.

Gabriel com a mãe Patrícia e um amigo, antes da cerimônia em Alenquer (Foto: Patrícia Valente/Arquivo Pessoal)
Gabriel com a mãe Patrícia e um amigo, antes da cerimônia em Alenquer (Foto: Patrícia Valente/Arquivo Pessoal)

Na sexta-feira (27), ele se apresentou e fez o juramento à bandeira, em uma cerimônia cheia de surpresas e emoção. Ninguém esperava um jovem com Down ter tanto entusiasmo e força de vontade. Em 10 anos, Gabriel é o primeiro Down a jurar à bandeira em Alenquer.

A cerimônia reuniu, ao todo, 38 jovens e marcou a entrega dos Certificados de Dispensa de Incorporação (CDI), documento que isenta os jovens que, este ano, estão completando 18 anos, das sanções legais, já que a prestação do serviço militar é obrigatória.

Gabriel ficou quase sem palavras, afinal, são muitos os motivos para comemorar. “Foi bacana. Fiquei emocionado. Estava ansioso”, declarou.

Mãe emocionada

A advogada Patrícia Valente, mãe de Gabriel, não conseguiu conter as lágrimas. Ela disse que, com 20 dias de nascido, o diagnóstico dado foi que o filho seria “incompatível com a vida”. A cardiopatia, segundo a mãe, seria limitante. Mas, a vida deu a ele outros caminhos.

“A cada conquista, a cada etapa que a gente supera, a gente se remete a esse dia. A gente tem certeza que ele não tem limite. Como mãe, eu fico imaginando o sofrimento de outras mães que não têm condições de falar, de verbalizar”, relata Patrícia.

A gente se propõe a sempre ser esse exemplo, a ser essa inspiração para outras famílias acreditarem no potencial dos seus filhos”, diz Patrícia Valente

Defensor de direitos

Gabriel lidera a Associação Amigos do Gabriel e integra o Fórum Municipal de Educação. Além de fóruns, participa de conferências e defende a implantação da política municipal da pessoa com deficiência na cidade.

O sonho dele é ser médico. Na escola, onde cursa o 7º ano do ensino fundamental, o jovem é exemplo de liderança. Foi apenas nos primeiros anos de vida que chegou a receber atendimento especializado na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), em Santarém.

O jovem é orgulho para a mãe. Ela diz que o filho tem uma vida social bem ativa e muito intensa. O momento delicado foi quando ele fez 18 anos e a família pensou nos procedimentos para se obter a curatela, prevista na legislação.

A curatela é o mecanismo de proteção para aqueles que, mesmo maiores de idade, não possuem capacidade de reger os atos da própria vida. A curatela é estabelecida por meio de um processo de interdição. No caso de Gabriel, não foi necessário.

“Fizemos algumas avaliações com ele, a nível de psicólogo e chegou-se a conclusão que seria uma violência a interdição a pessoa dele, considerando toda a atividade dele, toda a desenvoltura social que ele tem”, destaca Patrícia.

‘CaminhaDown’

Há três anos, a mãe deu início a “CaminhaDown” - caminhada em alusão ao Dia da Síndrome de Down, que mobiliza centenas de pessoas, todos os anos, no dia 21 de março, em Alenquer. Nos últimos dois anos, o evento teve Gabriel como líder do movimento.

Síndrome de Down

A Síndrome de Down não é uma doença e sim uma condição inerente à pessoa, que dentre outras características, causa deficiência intelectual. Pessoas com deficiência, como qualquer um, eventualmente adoecem, mas na maior parte do tempo estão saudáveis.

A legislação brasileira garante importantes direitos para a pessoa com síndrome de Down, seja para aqueles que são interditados parcialmente ou não. Seja no dia 21 de março ou no restante do ano, a voz das pessoas com síndrome de Down e das famílias ganha mais força.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas