Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Marinha de Israel intercepta navio que tentava romper bloqueio da Faixa de Gaza

A Marinha de guerra israelense interceptou, no mar Mediterrâneo, um navio com ativistas palestinos que tentavam romper o bloqueio da Faixa de Gaza.


Sputnik

Segundo informam os organizadores da ação, a antiga escuna de pesca Al-Awda (Regresso em português) navega sob bandeira da Noruega e tem a bordo 22 marinheiros, jornalistas e ativistas dos direitos humanos de 16 países e uma carga de remédios no valor de 13 mil euros (R$ 56,2 mil).

Reprodução Twitter

"O navio da Flotilha da Liberdade que transporta remédios para Gaza foi capturado pelas forças israelenses", escreveram os organizadores no Twitter.

De acordo com eles, quando o navio se encontrava à distancia de 50 milhas marítimas (92,6 quilômetros) da costa de Gaza, os militares da Marinha de Israel entraram em contato com eles via rádio e exigiram que mudassem de rumo. Caso contrário, eles avisaram que tomariam "todas as medidas necessárias" para parar a embarcação.

Até o momento, o serviço de imprensa do Exército israelense não comentou as mensagens dos ativistas.

A seguir ao Al-Awda, outro navio — o iate Freedom (Liberdade em português) sob bandeira da Suécia e com uma tripulação internacional a bordo — tentará romper o bloqueio.

"Esperamos que em dois dias ele atinja a área em que as forças de ocupação israelenses atacaram o Al-Awda", diz o comunicado dos ativistas.

Em 2016 já tinha havido uma tentativa de furar o bloqueio israelense, quando a uma embarcação com 13 mulheres, inclusive a vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Mairead Maguire, foi barrada a passagem. O barco delas foi levado para o porto israelense de Ashdod, a cerca de 30 quilômetros ao norte de Gaza, e elas foram detidas antes de serem deportadas.

Israel diz que o bloqueio é importante para impedir que o grupo Hamas consiga armamentos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas