Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Marinha dos EUA desenvolve projeto que permitirá controlar 15 drones ao mesmo tempo

O Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA revelou em recente discussão em mesa redonda com chefes do Laboratório de Combate que estão tentando construir um enxame de drones de 15 veículos aéreos não tripulados que podem ser controlados por apenas um usuário.


Sputnik

De acordo com o capitão do laboratório Matt Cornachio, os oficiais conseguiram controlar com sucesso seis drones ao mesmo tempo até agora.

Drones
© Foto : pixabay

"É como se as máquinas fizessem o trabalho para você, então você dá a elas a intenção e elas operam", disse Cornachio.

O raciocínio por trás do projeto é fornecer aos membros de serviço proteções extras enquanto operam em áreas remotas e disputadas. Para oferecer os melhores complementos, os oficiais querem adquirir drones que tenham reconhecimento automático de alvos, ataque cinético e capacidade de guerra eletrônica. É necessário também manter autonomia para permanecer no ar por horas.

"Não é impossível que essas coisas estejam no ar por três ou quatro horas, então quanto menor, melhor", afirmou Cornachio.

O projeto faz parte da maior operação do Órgão, o Sea Dragon 2025 (Dragão do Mar 2025), em que autoridades desenvolvem veículos autônomos, drones e outras unidades robóticas para testar como eles podem ser benéficos para o serviço. Semelhante ao projeto do Corpo de Fuzileiros Navais, a Agência de Projetos Avançados de Defesa dos EUA (DARPA) tenta criar um enxame de drones que contenha cerca de 250 robôs. Timothy Chung, o gerente do programa para os drones de infantaria da DARPA, disse que o projeto poderia ser usado para missões de reconhecimento ou mesmo para criar um perímetro nas operações.

A notícia do projeto segue após a revelação em abril que o EUA desenvolvem um outro drone, com capacidade de voar por quase 65 milhas em um período de duas horas, informou o Marine Corps Times.

Comentários

Postagens mais visitadas