Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Para conter Pequim? Londres pretende enviar seu maior porta-aviões ao mar do Sul da China

O Reino Unido e a Austrália estão discutindo os planos de enviar o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth ao oceano Pacífico em meio a tensões em torno da militarização chinesa no mar do Sul da China, informou The Guardian.


Sputnik

A Inglaterra pretende enviar seu porta-aviões para o oceano Pacífico para realizar patrulhamento para assegurar a liberdade de navegação, escreve a edição.

Os aviões ameicanos F/A-18E e F/A-18F Super Hornets sobrevoam o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth durante as manobras Saxon Warrior no Atlântico, em 5 de agosot de 2017
Porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth sobrevoado por Super Hornets norte-americanos © REUTERS / U.S. Navy/Capt. Jim McCall

Na semana passada, a ministra da Defesa, Marise Payne, e a chanceler, Julie Bishop, australianas discutiram operações navais conjuntas no oceano Pacífico com o secretário de Defesa britânico, Gavin Williamson, durante negociações de dois dias na Escócia.

A ministra Julie Bishop mencionou os desafios para "as normas e convenções" internacionais na região do Pacífico e as ameaças claras à "ordem internacional baseada em regras".

Segundo os ministros, as ameaças em questão justificam uma maior cooperação na área de defesa e segurança entre a Austrália e o Reino Unido.

Gavin Williamson reiterou o novo compromisso da Inglaterra na região Indo-Pacífica, inclusive os esforços para colocar suas forças navais na região.

"Estamos esperando posicionar o HMS Queen Elizabeth no oceano Pacífico e navegar lado a lado com navios australianos", afirmou Williamson.

O porta-aviões HMS Queen Elizabeth é o principal navio da Marinha Real britânica, sendo seu maior navio de sempre, ele é capaz de carregar até 60 aviões.

Nos últimos anos, a China tem destinado muitos recursos para disputar muitos recifes no mar do Sul da China, formando ilhas artificiais que apenas agravam a disputa territorial na região.

O mar do Sul da China é um caminho marítimo crucial através do qual passam anualmente mercadorias no valor de uns $ 3,4 trilhões, segundo o canal CNBC.

Comentários

Postagens mais visitadas