Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial do Hezbollah: nossos mísseis podem atingir qualquer ponto de Israel

O Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis, disse Sheikh Naim Qassem, secretário-geral adjunto do movimento libanês Hezbollah em entrevista ao jornal iraniano al-Vefagh.
Sputnik

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.


Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

Qassem comentou também a guerra na Síria, onde o Hezbollah desempenhou um papel ativo na assistência ao governo sírio contra vários agrupamentos terroristas, incluindo o Daesh e Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia). O funcionário elogiou as vitórias alcançadas contra os terroristas, mas criticou os EUA por sua suposta obstrução ao processo de paz.

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, dest…

Para conter Pequim? Londres pretende enviar seu maior porta-aviões ao mar do Sul da China

O Reino Unido e a Austrália estão discutindo os planos de enviar o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth ao oceano Pacífico em meio a tensões em torno da militarização chinesa no mar do Sul da China, informou The Guardian.


Sputnik

A Inglaterra pretende enviar seu porta-aviões para o oceano Pacífico para realizar patrulhamento para assegurar a liberdade de navegação, escreve a edição.

Os aviões ameicanos F/A-18E e F/A-18F Super Hornets sobrevoam o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth durante as manobras Saxon Warrior no Atlântico, em 5 de agosot de 2017
Porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth sobrevoado por Super Hornets norte-americanos © REUTERS / U.S. Navy/Capt. Jim McCall

Na semana passada, a ministra da Defesa, Marise Payne, e a chanceler, Julie Bishop, australianas discutiram operações navais conjuntas no oceano Pacífico com o secretário de Defesa britânico, Gavin Williamson, durante negociações de dois dias na Escócia.

A ministra Julie Bishop mencionou os desafios para "as normas e convenções" internacionais na região do Pacífico e as ameaças claras à "ordem internacional baseada em regras".

Segundo os ministros, as ameaças em questão justificam uma maior cooperação na área de defesa e segurança entre a Austrália e o Reino Unido.

Gavin Williamson reiterou o novo compromisso da Inglaterra na região Indo-Pacífica, inclusive os esforços para colocar suas forças navais na região.

"Estamos esperando posicionar o HMS Queen Elizabeth no oceano Pacífico e navegar lado a lado com navios australianos", afirmou Williamson.

O porta-aviões HMS Queen Elizabeth é o principal navio da Marinha Real britânica, sendo seu maior navio de sempre, ele é capaz de carregar até 60 aviões.

Nos últimos anos, a China tem destinado muitos recursos para disputar muitos recifes no mar do Sul da China, formando ilhas artificiais que apenas agravam a disputa territorial na região.

O mar do Sul da China é um caminho marítimo crucial através do qual passam anualmente mercadorias no valor de uns $ 3,4 trilhões, segundo o canal CNBC.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas