Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Por que drone submarino Poseidon e míssil balístico Sarmat são invulneráveis?

Analistas avaliaram as características das novíssimas armas russas, o drone submarino Poseidon e o míssil balístico intercontinental Sarmat.


Sputnik

A invulnerabilidade dos novíssimos drones submarinos Poseidon deve-se a uma maior profundidade de imersão, alta velocidade e imprevisibilidade da trajetória, comunicou aos jornalistas o analista principal do grupo de conselheiros do chefe do Estado-Maior russo, Igor Kasatonov.

Imagem do novo drone submarino russo mostrada durante a mensagem anual de Vladimir Putin à Assembleia Federal Rússia
Drone submarino em apresentação de Vladimir Putin © Sputnik / Grigory Sysoev

"As características técnicas do sistema subaquático Poseidon confirmam sua invulnerabilidade. Isso é atingido através de uma maior profundidade de imersão, alta velocidade, bem como da trajetória até ao alvo imprevisível para o adversário", comentou Kasatonov.

Ele recordou que os testes da unidade propulsora nuclear para equipar os drones já foram completados, o que "comprova a viabilidade do projeto com as características previstas pelo Ministério da Defesa".

"As características únicas do Poseidon farão com que a nossa Marinha seja capaz de lutar com êxito contra grupos de navios e de porta-aviões de um provável adversário em quaisquer direções no teatro de operações oceânico, bem como destruir alvos da infraestrutura costeira", assinalou o especialista.

Por sua vez, outro analista militar, Vitkor Murakhovsky, explicou por que o míssil Sarmat é invulnerável para todos os sistemas de defesa antimíssil.

"Graças à nova estrutura dos motores e novas receitas de composição do combustível, foi reduzida a fase ativa da trajetória […] Isso permite assegurar que o lançamento do míssil não seja detectado por meio de sistemas de alerta contra mísseis do adversário, além de garantir a proteção de designação como alvo pelos sistemas antimíssil", comentou o analista em entrevista ao canal Rossiya 24.

Vitkor Murakhovsky frisou também que o Sarmat pode ser dotado da ogiva hipersônica Avangard, o que torna quaisquer meios de resistência inúteis, até em teoria.

"Nenhuns recursos, nenhuns sistemas de defesa antimíssil poderão ajudar", ressaltou.

O Poseidon, o Sarmat e outras novíssimas armas russas foram apresentadas pelo presidente do país, Vladimir Putin, em seu discurso à Assembleia Federal em 1º de março de 2018. O presidente declarou que a Rússia desenvolveu um míssil hipersônico capaz de voar a uma velocidade de até Mach 10 (o que equivale a dez vezes a velocidade do som, ou 12.240 km/h), além de superar todos os sistemas de defesa antiaérea e antimíssil existentes e em desenvolvimento, podendo transportar ogivas nucleares ou convencionais a distâncias de cerca de 2 mil quilômetros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas