Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Presidente iraniano: EUA devem saber que a 'guerra com Irã será a mãe de todas as guerras'

No domingo (22), presidente do Irã, Hassan Rouhani, advertiu os Estados Unidos destacando que a paz com o Irã será vital para as políticas de Washington.


Sputnik

O presidente do Irã advertiu o presidente norte-americano, Donald Trump, contra políticas hostis em relação a Teerã, declarando que "EUA devem saber [… ] que a guerra com o Irã será a mãe de todas as guerras".

Forças Armadas do Irã no desfile militar do 37º aniversário da invasão do Iraque ao Irã em 1980
Militares iranianos em desfile © AP Photo/ Ebrahim Noroozi

"Mister Trump, não brinque com a cauda do leão, só se irá arrepender", declarou Rouhani, citado pela agência Reuters.

Ontem, o líder supremo do Irã, Ali Khamenei, criticou os EUA, afirmando que é impossível chegar a qualquer acordo com Washington.

As tensões entre o Irã e os EUA se agravaram depois que em 8 de maio Donald Trump anunciou sua decisão de abandonar o acordo nuclear com o Irã e aplicar novas sanções econômicas contra Teerã. Muitos outros países, incluindo a Rússia, a China e a UE, se manifestaram contra a decisão dos EUA e prometeram manter o pacto. O Irã também reafirmou seu compromisso com o acordo, sublinhando que poderá aumentar sua capacidade nuclear caso o entendimento colapse.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas