Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Putin e Trump falaram de referendo no leste da Ucrânia, afirma embaixador

Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e dos Estados Unidos, Donald Trump, falaram durante a cúpula de Helsinque sobre a possibilidade de realizar um referendo no leste da Ucrânia como via de solução para o conflito, disse nesta sexta-feira em Moscou o embaixador russo em Washington, Anatoly Antonov.


EFE

Moscou - "Este problema foi debatido. Foram formuladas propostas concretas para revolver este assunto", disse o diplomata russo ao responder uma pergunta sobre se os governantes falaram da possibilidade de um referendo no leste da Ucrânia, após discursar no fórum internacional de debate Valdai.

EFE/ Anatoly Maltsev
EFE/ Anatoly Maltsev

Segundo a imprensa americana, Putin informou ontem aos seus diplomatas que propôs a Trump realizar um referendo para resolver o conflito no leste da Ucrânia e esteve de acordo de não fazer pública a proposta para que a parte americana pudesse estudá-la.

Antonov acusou as autoridades ucranianas de descumprir o acordo de Minsk para a regulação do conflito armado que já deixou mais de 10 mil mortos, entre civis e combatentes, nas regiões orientais ucranianas de Donetsk e Lugansk, ambas fronteiriças com a Rússia.

A proposta russa de um referendo seria recebida de mal grau pelo Governo de Kiev, que acusa Moscou de apoiar militarmente e financeiramente aos separatistas pró-russos das autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas