Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Que vantagens possui novíssimo míssil russo Kinzhal sobre seu 'irmão' Iskander?

Uma fonte na indústria militar russa comparou os dois mísseis em termos de sua velocidade.


Sputnik

O míssil hipersônico Kinzhal é capaz de atingir alvos a uma distância três vezes maior que seu protótipo terrestre, o míssil tático operacional Iskander, comunicou à Sputnik uma fonte na indústria militar russa.

Dois aviões modernizados MiG-31K, equipados com novíssimo sistema de mísseis para aviação Kinzhal, estreiam na 73ª Parada da Vitória, na Praça Vermelha, em 9 de maio de 2018
Dois MiG-31K russos carregando mísseis Kinzhal © Sputnik / Ekaterina Nenakhova

O Kinzhal, instalado em caças MiG-31K, possui um alcance de 1,5 mil quilômetros, detalhou o interlocutor da agência.

O sistema Iskander-M, por sua vez, é projetado para atingir alvos a uma distância de até 500 quilômetros.

O analista militar Viktor Murakhovsky explicou à Sputnik a que se deve o aumento de alcance do novo míssil em comparação com o Iskander.

"A energia de um míssil balístico lançado a partir do solo é gasta para superar a força da gravidade da Terra, enquanto um míssil lançado do ar não precisa superá-la e gastar energia para aceleração horizontal, aliás, não precisa acelerar de todo, já que o próprio avião durante o lançamento voa a uma velocidade supersônica", explicou o especialista.

De acordo com ele, outro motivo de "transformação" do Iskander no Kinzhal são as limitações ao desenvolvimento de novos mísseis de baseamento terrestre desta classe prescritas no Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário.

O Kinzhal e outras novíssimas armas russas foram apresentadas pelo presidente do país, Vladimir Putin, em seu discurso à Assembleia Federal em 1 de março de 2018. O presidente declarou que a Rússia desenvolveu um míssil hipersônico capaz de voar a uma velocidade de até dez Mach (o que equivale a dez vezes a velocidade do som, ou 12.240 km/h), além de superar todos os sistemas de defesa antiaérea e antimíssil existentes e em desenvolvimento, podendo transportar ogivas nucleares ou convencionais a distâncias de cerca de 2 mil quilômetros.

No segundo trimestre deste ano, dez MiG-31, dotados de mísseis Kinzhal, entraram em serviço no Distrito Militar Sul russo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas