Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Rouhani: Irã não deseja escalar tensões no Oriente Médio

Teerã nunca quis escalar as tensões no Oriente Médio, disse o presidente iraniano Hassan Rouhani durante reunião com o novo embaixador do Reino Unido na República Islâmica, Robert Macaire.


Sputnik

"O Irã nunca quis o aumento das tensões na região, nem quis criar problemas em rotas marítimas internacionais. Ao mesmo tempo, nunca renunciará do seu direito de exportar petróleo", escreveu Rouhani em seu site na internet.

Iran's President Hassan Rouhani (File)
Presidente iraniano Hassan Rouhani © REUTERS / Faisal Mahmood

Durante a reunião, Macaire entregou suas credenciais para Rohani e disse que Londres apóia o acordo sobre o programa nuclear iraniano e defende sua implementação.

Por sua vez, o presidente do Irã saudou o aprofundamento das relações entre Teerã e Londres e criticou a saída dos EUA do pacto nuclear, conhecido com Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA).

"O Irã está sempre pronto para desenvolver as relações com os países europeus, mas agora, após a saída dos Estados Unidos do JCPOA, a bola está no campo da Europa e o tempo restante é limitado", disse Rouhani.

O Departamento de Estado dos EUA declarou que Washington tentará convencer seus aliados a pararem de comprar petróleo do Irã.

De acordo com o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, Washington está disposto a impor sanções à Rússia, à China e a qualquer outro país que continue comprando petróleo do Irã.

No início de maio, Trump anunciou a saída de seu país do acordo assinado em 2015 pelo Irã, Rússia, Estados Unidos, Grã-Bretanha, China, França, Alemanha e o chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas