Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Rússia desmente rumores sobre vítimas entre militares russos na Síria

O ministério da Defesa da Rússia negou nesta terça-feira relatos, divulgados na mídia, sobre supostas mortes de militares russos na Síria em um ataque terrorista, realizado pelo Daesh.


Sputnik

"O relatório divulgado pelo portal de notícias da Internet Lenta.ru, com referência aos portais do grupo terrorista Daesh, sobre supostas mortes de militares russos na Síria após um ataque terrorista é mais uma farsa", declarou o ministério em um comunicado.

Engenheiros militares russos ajudam a neutralizar minas em áreas orientais da cidade síria de Aleppo (foto de arquivo)
Engenheiros militares russos em Aleppo © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

Segundo o órgão, "não foram registradas perdas entre os militares russos na província de Deir ez-Zor, bem como no território da República Árabe da Síria como um todo".

O ministério também lamentou o envolvimento do portal de notícias russo na disseminação de "informações enganosas, deliberadamente espalhadas por terroristas do Daesh".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas