Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Saab Gripen E voa com armamento pela primeira vez

A Saab informou que está confiante de que o segundo e terceiro exemplares de teste de seu novo caça Gripen E voarão em breve, à medida que continua o trabalho de desenvolvimento com a primeira aeronave 39-8.


Poder Aéreo

O segundo e terceiro jatos de teste, designados 39-9 e 39-10, vão “voar em breve”, disse Jonas Hjelm, vice-presidente sênior e chefe de aeronáutica da fabricante sueca. Embora eles não participem do programa de teste exatamente no mesmo cronograma, neste momento, em 2019, ambos farão parte dele, diz ele.

Gripen E voa com armamento pela primeira vez
Gripen E voa com armamento pela primeira vez

Enquanto isso, o primeiro avião de teste da Saab, 39-8, voou com cargas externas recém-adicionadas: cinco pilones produzidos pela Ruag, bem como dois mísseis ar-ar IRIS-T em suas estações de ponta de asa. O Gripen E voou pela primeira vez em junho de 2017.

“O Gripen voou como esperado e estamos muito satisfeitos com os resultados dos testes de voo”, diz Hjelm. “Durante o voo, a aeronave realizou várias ações para verificar as qualidades de voo e manuseio da aeronave com essa configuração estendida”.

A empresa diz que cada Gripen E vem com oito pilones. Estes podem ser usados ​​para combustível, sensores ou armas.

Hjelm acrescenta que a ênfase no teste de voo do 39-8 está nas características de manuseio do Gripen E. À medida que novos jatos entrem no programa de testes, sistemas adicionais, como guerra eletrônica, radar e um link de dados Link 16, serão introduzidos.

No entanto, Hjelm não disse quando o Gripen F de dois lugares, que faz parte do pedido do Brasil para 36 Gripens, conduzirá seu primeiro voo.

Ele ressaltou que o advento do Gripen E e do Gripen F de dois lugares não significa que os Gripen C e D existentes tenham atingido o fim de suas vidas, e a versão original do caça ainda possui um caminho de crescimento substancial. De fato, o desenvolvimento das variantes mais avançadas também alimenta o trabalho na plataforma C e D, diz ele.

Quando perguntado sobre a visão da Saab sobre os chamados programas de combate de sexta geração, que provavelmente verão esforços transnacionais para desenvolver caças avançados ou veículos de combate não tripulados, Hjelm disse que a Saab já está profundamente envolvida no trabalho futurista com o desenvolvimento do Gripen E.

“Estamos dispostos a conversar com todos na Europa e até mesmo fora dela sobre os caças da próxima geração. O Gripen E fará parte dessa discussão”.

Ele acrescenta que as conversas do setor sobre os UCAVs diminuíram um pouco nos últimos anos, principalmente por causa de preocupações filosóficas sobre sistemas não tripulados. A longo prazo, ele espera que o interesse nesta área cresça novamente, mas com uma ênfase maior em plataformas opcionalmente tripuladas.

FONTE: FlightGlobal

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas