Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Tanque russo Armata: último 'adeus' aos veículos de combate tradicionais?

Um representante do Ministério da Defesa russo estimou as tendências na construção de veículos de combate pesados, ao ressaltar que nas próximas décadas a área passará por significativas mudanças.


Sputnik

Daqui a 25-30 anos, quando o T-14 Armata, o tanque mais avançado de hoje, se tornar obsoleto, este e outros veículos de combate serão substituídos por novas máquinas que irão utilizar outros princípios físicos, assegurou o coronel-general Sergei Maev, ex-chefe do departamento de divisões blindadas do Ministério da Defesa da Rússia.

Tanque T-14 Armata durante ensaios da Parada de Vitória em Moscou (foto de arquivo)
Tanque russo T-14 Armata© Sputnik / Vladimir Astapkovich

"Existem agora várias plataformas de combate na fase final [de desenvolvimento]: Armata, Kurganets-25 e Boomerang. São todos veículos tradicionais que vão servir pelo menos 25 ou 30 anos. Mas eles terão que ser substituídos por sistemas baseados em novos princípios físicos", indicou Maev. Sua entrevista foi reproduzida pelo canal russo RT.

Segundo o general, o termo “novos princípios físicos” supõe processos e tecnologias que antes não eram utilizados nos sistemas de armamentos, ou seja, lasers de combate, armas acústicas e eletromagnéticas, entre outros.

Os veículos de combate robóticos, segundo estimou Maev, devem surgir ainda mais cedo, nos próximos 10 ou 15 anos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas