Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Tanque russo Armata: último 'adeus' aos veículos de combate tradicionais?

Um representante do Ministério da Defesa russo estimou as tendências na construção de veículos de combate pesados, ao ressaltar que nas próximas décadas a área passará por significativas mudanças.


Sputnik

Daqui a 25-30 anos, quando o T-14 Armata, o tanque mais avançado de hoje, se tornar obsoleto, este e outros veículos de combate serão substituídos por novas máquinas que irão utilizar outros princípios físicos, assegurou o coronel-general Sergei Maev, ex-chefe do departamento de divisões blindadas do Ministério da Defesa da Rússia.

Tanque T-14 Armata durante ensaios da Parada de Vitória em Moscou (foto de arquivo)
Tanque russo T-14 Armata© Sputnik / Vladimir Astapkovich

"Existem agora várias plataformas de combate na fase final [de desenvolvimento]: Armata, Kurganets-25 e Boomerang. São todos veículos tradicionais que vão servir pelo menos 25 ou 30 anos. Mas eles terão que ser substituídos por sistemas baseados em novos princípios físicos", indicou Maev. Sua entrevista foi reproduzida pelo canal russo RT.

Segundo o general, o termo “novos princípios físicos” supõe processos e tecnologias que antes não eram utilizados nos sistemas de armamentos, ou seja, lasers de combate, armas acústicas e eletromagnéticas, entre outros.

Os veículos de combate robóticos, segundo estimou Maev, devem surgir ainda mais cedo, nos próximos 10 ou 15 anos.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas