Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Donetsk declara estar em prontidão de combate para se defender de suposta ofensiva de Kiev

Os destacamentos da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) estão em prontidão de combate total e completamente equipados com todo o necessário para o caso de haver uma possível ofensiva das Forças Armadas da Ucrânia em Donbass, declarou aos jornalistas o vice-comandante da Milícia Popular da RPD, Eduard Basurin.
Sputnik

Anteriormente, Donetsk denunciou a preparação de um grande ataque por parte de Kiev no sul da região de Donetsk com uso de veículos blindados pesados, artilharia e lançadores múltiplos de foguetes.


Segundo dados da inteligência, a ofensiva foi programada para 14 de dezembro com o objetivo final de tomar sob controle a fronteira com a Rússia. O líder da RPD, Denis Pushilin, declarou por sua vez que as forças de Donetsk estavam prontas para repelir o ataque.

"Todas as unidades militares foram colocadas em prontidão de combate total. Desde o momento em que recebemos informação sobre a preparação de uma ofensiva em grande escala do lado ucraniano, os nossos des…

Teerã tem poder para responder às ameaças 'vazias' dos EUA, declara comandante iraniano

O chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, major-general Mohammad Ali Jafari, declarou que o Irã não leva a sério as ameaças militares de Washington, porque uma guerra desencadeada contra o Irã vai custar caro aos seus inimigos.


Sputnik

Jafari comentou a declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, que o Irã iria sofrer consequências como poucos sofreram algum dia na história.
"As ameaças militares feitas pelos inimigos não são muito sérias e são vazias, temos poder para responder-lhes", disse Jafari na sexta-feira (27) falando com estudantes em Teerã, informou a PressTV.

Os efetivos do o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) durante um desfile militar (foto de arquivo)
Militares iranianos © AP Photo / Vahid Salemi

Segundo o comandante, os inimigos do Irã estão mais focados em minar o país através de uma "guerra suave", em vez de ações militares.

"Hoje as ameaças e sanções dos inimigos atingiram seu auge", disse Jafari. "Contudo, a única ameaça que eles não porão em ação é a militar, porque se realizarem uma agressão militar, isso implicará custos enormes para eles próprios", sublinhou ele.

O comandante iraniano fez essas declarações na sequência das ameaças de Trump e de informações que representantes do governo australiano acreditam que os EUA poderão lançar ataques contra instalações nucleares iranianas já em agosto.

As relações entre Washington e Teerã se agravaram em meados deste ano, quando os Estados Unidos saíram unilateralmente do acordo nuclear iraniano, voltando a introduzir sanções anteriormente suspendidas contra o Irã.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas