Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Lançamento do Submarino Riachuelo – S40 (VIDEO)

Hoje, 14 de dezembro, às 10h da manhã em Itaguaí-RJ, teve início a Cerimônia de Lançamento do Submarino Riachuelo, o primeiro de uma série de quatro submarinos convencionais e um nuclear que estão sendo construídos pela Marinha do Brasil. A cerimônia conta com a presença do Presidente da República.
Poder Naval

O nome do primeiro submarino, “Riachuelo”, é alusivo à Batalha Naval do Riachuelo, considerada decisiva na Guerra do Paraguai, com atuação destacada da Marinha do Brasil.


Acompanhe a Cerimônia em tempo real no vídeo no final deste post.
Prosub

O Brasil tem o mar como uma forte referência em todo o seu desenvolvimento. É nessa área marítima que os brasileiros desenvolvem as atividades pesqueiras, o comércio exterior e a exploração de recursos biológicos e minerais. A imensa riqueza das águas, do leito e do subsolo marinho nesse território justifica seu nome: Amazônia Azul.

A Amazônia Azul cobre uma área de 3,5 milhões de quilômetros quadrados. Mas o país pleiteia na Organização das Naç…

Venezuela está disposta a 'defender soberania e independência de Nicarágua'

Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela, avisou da capital nicaraguense, Manágua, que o presidente Nicolás Maduro está disposto a apoiar a Nicarágua em defesa de sua soberania se for necessário.


Sputnik

"Se [nós] o povo bolivariano, os revolucionários da Venezuela, tivéssemos que vir à Nicarágua para defender a soberania e a independência nicaraguense, e oferecer nosso sangue pela Nicarágua, iríamos como Sandino, até à montanha de Nueva Segovia", expressou Arreaza.

Manifestações contra o governo de Daniel Ortega na Nicarágua.
Manifestação contra o governo de Daniel Ortgega, na Nicarágua © REUTERS / Oswaldo Rivas

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela fez essas declarações durante a comemoração dos 39 anos do triunfo da Revolução Sandinista em Nicarágua, país para o qual viajou em 19 de julho.

O socialismo, enfatizou Arreaza, é o caminho certo, e assegurou que a Venezuela passou por uma situação semelhante da qual a Nicarágua enfrenta desde abril deste ano.

"Caros compatriotas, dizemos-lhes porque vivemos essa mesma experiência que vocês vivem nos últimos meses, nós as chamamos de guarimbas [termo para protesto popular], agressões, que com o apoio e interferência dos EUA queriam derrubar o governo do presidente Maduro, mas aplicamos o conceito de paciência estratégica e obtivemos a paz e o diálogo", destacou Arreaza.

A Nicarágua está passando por uma grave crise desde o último dia 18 de abril, quando começou uma onda de protestos contra o Governo que levaram a confrontos entre manifestantes e forças de segurança.

No início de julho, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos informou que 264 pessoas morreram desde o início dos protestos, enquanto a organização não governamental Associação Nicaraguense pró-Direitos Humanos, afirma que o número de mortes chegou a 351.

O governo de Ortega atribui o derramamento de sangue a setores violentos da oposição que tentam executar um "golpe suave" contra eles.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas