Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Vitória em Idlib acabará com guerra na Síria, diz fonte de alto escalão no exército

Uma fonte militar de alto escalão no exército da Síria contou à Sputnik que em breve no país, que tem sido palco de uma violenta guerra civil, ocorrerão eventos que "surpreenderão todos".


Sputnik

De acordo com a fonte, a chefia do exército sírio ordenou a liberação total do território do país dos terroristas. 

Soldados do Exército sírio (foto de arquivo)
Militares sírios © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy

"No momento, o exército possui forças suficientes para libertar a província de Idlib. Isso será o evento-chave para acabar com a guerra de oito anos no país. Nos próximos dias ocorrerão eventos que surpreenderão todos. Os próprios terroristas assinaram sua pena de morte", afirmou a fonte, citada pela Sputnik Árabe.

A fonte adicionou que as unidades do exército sírio na zona fronteiriça com a província de Idlib vêm rechaçando com êxito todos os ataques dos radicais.

"Os postos do exército possuem um alto nível de prontidão de combate e estão prontos para quaisquer ações, quer seja a defesa das posições, quer seja a ofensiva", explicou a fonte militar.

As forças terroristas na província de Idlib se encontram enfraquecidas por conflitos internos. Ao longo dos últimos oito meses, em resultado de vários confrontos entre grupos de combatentes, quase oito mil radicais foram mortos. Em sua maior parte, são integrantes dos grupos Tahrir al-Sham e Jabhat Fateh al-Sham.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas