Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

27º GAC de Cruz Alta realiza adestramento utilizando simuladores

Com o objetivo de aprimorar o adestramento por intermédio de missões de tiro simuladas, o 27º Grupo de Artilharia de Campanha (27º GAC) realiza, nas instalações do Simulador de Apoio de Fogo (SIMAF) do Centro de Adestramento-Sul (CA-Sul), a Operação “Monte Caseros”.


Forças Terrestres

Santa Maria (RS) – Coordenado pelo Centro de Operações Terrestres (COTER), a Operação iniciou no dia 27 de agosto e irá até 31 de agosto. Conta com 66 militares, utilizando quatro peças de obuseiro 155 mm, dotados de sensores.


São executadas tarefas inerentes aos subsistemas de observação, direção e coordenação de tiro, linha de fogo e comunicações, que compõem um Grupo de Artilharia de Campanha.

O Comandante do 27º GAC, Tenente-Coronel Gerson Ricardo Parzianello, destacou as vantagens da utilização da simulação “primeiramente, se economiza recursos financeiros. Outro fator, é a questão da segurança, pois evita riscos e acidentes.”
Esse treinamento com simuladores visa a participação na Operação Coxilha, prevista para a primeira quinzena do mês de outubro, que consiste em uma manobra de adestramento, que tem por objetivo capacitar todos os Grupos de Artilharia de Campanha e suas Baterias a atuarem de forma centralizada.

Com uso de simuladores aproximando cada vez mais treinamento e realidade, os exercícios militares têm apresentado maior segurança e economia de meios e de tempo.

FONTE: Seção de Comunicação Social da 3ª Divisão de Exército

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas